Dragon Ball Super: Ranking dos 10 Lutadores do 7o Universo

Antes de sair cornetando o ranking, LEIA os critérios adotados para sua elaboração. Também teremos spoilers da série inteira no texto a seguir.


Olá, queridos órfãos de DBS. Pois é… acabou. No entanto, entramos na noite escura com a esperança que o Sol volte a nascer e, quem sabe, brilhando mais forte do que nunca.

Enquanto esperamos por esse Sol, vamos discutir sobre o desempenho dos lutadores do 7o Universo no Torneio do Poder. Diversas lutas, eliminações, desempenhos abaixo ou acima do esperado e MUITA polêmica envolvendo as regras e inconsistências com o passado de Dragon Ball e até mesmo o apresentado em Dragon Ball Super.  Vale ressaltar que esse ranking é SOMENTE sobre o 7o Universo.

Os dois que começaram tudo. 🙂

Antes de começarmos, é importante que você tenha em mente as regras do Torneio. Eles serão importantíssimas para fundamentação dos critérios que adotamos para elaborar nosso ranking.

Regras do Torneio do Poder:

  • Um participante apenas conta como eliminado quando cai da arena. Mesmo inconsciente, mas dentro da arena, conta como lutador para seu Universo.
  • Matar o oponente é proibido, resultando em eliminação de quem cometeu o homicídio.
  • O uso de armas e ervas/poções é proibido. No entanto, brincos e potes foram utilizados… essa regra está mais para: Caso Zeno goste, tá valendo.
  • Lutadores eliminados e deuses não podem interferir no andamento do torneio, mas podem gritar o que quiser da arquibancada, inclusive dar dicas.
  • Ao ter todos seus 10 participantes eliminados, o universo é apagado.
  • Vencerá o universo que tiver mais membros dentro da arena, conscientes ou não, ao final dos 100 taks (equivalente a 48 minutos) ou que tiver eliminado todos os demais antes do tempo limite.

É melhor que o GT?!


Critérios Adotados para o Ranking:

– Jogando com as Regras

É, de longe, o critério mais importante. NÃO vence o Torneio quem elimina mais lutadores, vence o Universo que tiver maior número de combatentes na arena ao fim do tempo. Isso significa que quanto menos lutar, melhor. Menor é o risco de cair e menos desgastado fica o personagem para os momentos finais, quando só a nata resta na arena. As únicas lutas que valem a pena são as que você tem TOTAL certeza de vitória com pouco desgaste, para ajudar algum companheiro em dificuldade ou para se defender caso seja atacado. Qualquer luta além disso é burrice. Esse critério julgará se o lutador se apoiou ou não nas regras durante o Torneio.

Tomada de Decisões

Devo ajudar fulano de tal ou não? Devo me sacrificar para eliminar tal lutador? Vale a pena iniciar essa luta? São muitas possibilidades e pouco tempo para tomar decisões, que muitas vezes se mostraram fatais. Esse critério julgará se o lutador foi esperto ou não.

Número de Eliminações e Assistências

Eliminar o maior número de lutadores garante algo no Torneio? Não. No entanto, ele é um bom indicador de como foi a performance do lutador. Esse critério usará uma contagem simples de quantos lutadores o combatente eliminou e quantas assistências ele deu.

Poder Perante Adversários

Com um enorme desnivelamento de poder entre os integrantes do 7o Universo, seria injusto avaliar seu desempenho somente pelo resultado final até sua eliminação. Levando isso em consideração, esse critério irá avaliar o resultado obtido versus o potencial do lutador e de seus adversários.

Eliminação

Caso o lutador tenha sido eliminado, vamos avaliar como isso ocorreu. Ele deu mole? Ele se sacrificou justamente? Sua queda era inevitável? Ele se jogou? Esse critério julgará as circunstâncias da queda do lutador da arena.

Imagina o Boo nesse time… que lindo seria.

Com base nesses critérios supracitados, chegamos ao nosso ranking. Algumas posições eram muito óbvias e outras foram extremamente difíceis de acertar, tanto para bem quanto para mal. Do nosso ponto de vista tivemos 2 vexames, 2 decepções, 3 entregando o esperado e 3 surpreendendo.

Comente, especialmente depois de ler a PORRA DOS CRITÉRIOS. E que o hate transborde.

10º – Kuririn

Muitos apontam Kuririn como o terráqueo mais forte (pelo menos até o Oob começar a lutar) e, tendo participado ativamente da maioria dos arcos de DBZ, de grande experiência em combate. E mesmo há tempos sem lutar e treinar quando convocado por Goku a se juntar ao time do 7o Universo, Kuririn foi uma ENORME decepção no Torneio do Poder, não por ter caído primeiro, mas na forma como caiu. Um lutador experiente, detentor de belas técnicas e com um nível de poder razoável se comparado aos outros 70 participantes, nosso amigo sem nariz conseguiu ter a eliminação mais inacreditável de todas. Ele ficou na beirada da arena vendo “o nada” para onde caem os lutadores eliminados, até que Frost deu um empurrãozinho nele pelas costas e pronto… arquibancada para nosso carequinha. Gotten e Trunks não foram selecionados pela falta de experiência em torneios, mas foi exatamente isso que Kuririn apresentou nessa eliminação, contribuindo bem pouco com o time.

9º – Tenshinhan

Tenshinhan, há algum tempo, faz figuração em Dragon Ball. Tendo uma participação um tanto irrelevante, mas bonita, na saga dos saiyajins, Tenshin perdeu sua importância na franquia e isso ficou muito evidente no Torneio do Poder. Confesso aqui a minha surpresa com sua escalação. Esperava algum ser de outro planeta ou outro personagem ressuscitável em seu lugar, até mesmo os já citados Gotten ou Trunks. Seu desempenho talvez tenha sido o pior do 7o Universo e ele só aparece a frente do Kuririn por três motivos. O primeiro por ter um nível de luta inferior (não muito), segundo, por ter prestado uma boa assistência contra um inimigo não muito ortodoxo e, terceiro, por sua queda ter sido menos patética. No entanto, isso não o isenta de uma queda que foi uma total falta de atenção e de erro de avaliação de um personagem que parecia derrotado. O que poderia ter sido uma volta triunfal e motivo de orgulho para a raça humana acabou por ser tornar mais um motivo de vergonha.

8º – Piccolo

Caso você seja um leitor assíduo dos reviews dos episódios de DBS no MetaFictions, não é novidade que Piccolo é meu personagem favorito. Ele sempre se manteve relevante, tendo seu ápice na saga do Cell junto ao seu pupilo Gohan (meu 2o personagem favorito), mesmo tendo um nível, se comparado aos saiyajins, inferior. Ele, quando não está de babá da Pan, se mantém ocupado treinando e se aperfeiçoando. Muito se esperava dele nesse torneio por alguns motivos. Talvez o mais importante seja sua química com Gohan, uma vez que eles treinaram juntos a vida toda e, inclusive, fizeram um intensivão antes do Torneio começar. Piccolo, desde o início, se mostrou muito vulnerável e dependente de seu aprendiz. A todo momento perdia um braço ou era protegido por Gohan. Essa simbiose na verdade se transformou em parasitismo. Muitos fãs acharam que ele se tornaria um deus namek ou atingiria algum estado de transformação inédito ou, até mesmo, absorveria os outros namekuseijins do 6o Universo, porém nada isso ocorreu. Ele teve momentos importantes? Teve, mas sempre escoltado por seu fiel pupilo e, para piorar, ele encerra aqui no nosso ranking as quedas inacreditáveis. Sua queda foi semelhante ao do Kuririn, mas com o agravante de ele poder esticar seus braços – ação que ele praticou momentos antes ao salvar Gohan – e não o fez para se agarrar à beirada da arena. Uma pena…

7º – Gohan

Por onde começar? Gohan sempre foi o queridinho de Dragon Ball Z e de enorme relevância em todas as sagas. Ficávamos deslumbrados com seus rompantes furiosos que acionavam picos de grande ki e transformações. Esperamos por 120 episódios em DBS para que ele voltasse a velha forma, mas nem quando o Universo inteiro (o 7o) estava na balança ele conseguiu ser a sombra de outrora. Gohan teve boas lutas, derrubou adversários tanto sozinho e quanto dando assistência, especialmente ao lado de seu mestre Piccolo. No entanto, ele não desenvolveu seu poder ao ponto de ficar mais forte e nem foi decisivo no Torneio, tirando a sua queda que, polêmicas a parte, levou com ele um forte adversário e salvou um membro de equipe bem poderoso (Freeza). Há quem argumente que ele nunca quis lutar e que ele não treinava desde o fim da saga Boo, o que diminuiu seu poderes. A primeira afirmativa é verdadeira, mas não justifica seu desempenho. Em praticamente nenhuma outra saga ele quis lutar e só o fazia pela necessidade, o que é o caso no Torneio do Poder. A 2a afirmativa é um tanto falsa, tendo em vista que o corte de tempo da saga Boo pro Torneio do Poder é menor do que da saga Cell pro Boo, no qual ele não teve diminuição relevante de poder. Simplesmente Gohan não carrega mais com ele o brilho da juventude e isso ficou claro com seu desempenho medíocre perante seu potencial.

6º – Androide 18

Podemos dizer que a 18 foi a personagem que melhor cumpriu seu papel considerando a expectativa que cercava seu desempenho. Igualmente ao seu marido (Kuririn) e Gohan, 18 desistiu das lutas para se focar na família. Porém, diferente dos outros dois, ela é um androide e seu corpo cibernético tem energia infinita. Embora tenha perdido um pouco da prática marcial, ela fez parceria com seu irmão 17. Foi a melhor dupla de todo o Torneio, eliminando vários lutadores – incluindo a escrota da Ribrianne – e dando assistência em vários momentos. Talvez o seu maior pecado tenha sido se expor demais, tendo em vista que, mesmo sendo poderosa (em todos os sentidos), ela estava enferrujada. Ela se machucou em algumas ocasiões e precisou da ajuda de seu irmão, que se colocava em perigo para ajudá-la. Lembremos que a sua queda foi, dentre todos os lutadores do 7o Universo, a mais valiosa. Graças a ela que 17 pode continuar na arena e o 7o Universo conseguiu vencer o Torneio. Só lamento por ser a única personagem feminina no time, se bem que não sabemos se Freeza é macho, fêmea, hermafrodita ou igual à raça dos namekuseijins.

5º – Goku

Calma. Sem faniquito aqui. Goku é o mais forte do time? Sim. Salvou o 7o Univsero? Também. Mas vamos relembrar que nas regras do Torneio NÃO VENCE quem elimina mais lutadores. Aí que reside o grande problema do Goku: ele é um imbecil. A todo momento Goku buscava lutas contra seres poderosíssimos e quase caiu/morreu algumas vezes. Imagina se ele cai logo no início contra Kale Berserker? Mudaria completamente a cara do Torneio e deixaria seus companheiros de time em ENORME desvantagem. A estratégia perfeita foi a adotada por Jiren, igualmente importante para o 11o Universo. Ele só ficou parado esperando alguém ir atrás dele. Imagina se Jiren cai da arena logo no começo? Foi exatamente esse o risco que Goku correu. Ele não jogou com as regras e só pensou em lutar. Tudo bem que foi super competente durante as lutas, mas se desgastou, correu riscos à toa e quase caiu algumas vezes. Ele optou por uma péssima estratégia, que deu certo por MUITO pouco. Diferente do nosso 3o colocado, que optou pela estratégia oposta (e correta).

4º – Mestre Kame

Mas antes… Mestre Kame. Talvez o membro mais fraco do time, mas de maior experiência. Com uma tática traçada e com grande competência, ele eliminou lutadores que poderiam dar grande dor de cabeça para os seus companheiros, trocou golpes com seres MUITO superiores ao seu poder – e por muito pouco não eliminou Frost, o que teria sido um feito e tanto – e salvou Vegeta de uma eliminação (que em parte seria culpa do próprio mestre Kame). Considerando sua idade e nível de poder, foi uma enorme proeza as surras que ele aguentou e as técnicas, que muito demandavam de seu corpo, executadas. Apesar de não ter durado muito no Torneio, ele foi muito além do que se esperava dele. A única ressalva foi a forma como ele caiu da arena ao se jogar por não aguentar mais. Talvez ele morresse na arena ou ficasse inconsciente em algum canto caso não tivesse se jogado, mas continuaria contando como lutador presente. Mesmo a sua morte, dada a sua idade avançada, não seria uma troca ruim caso levasse com ele algum lutador de nível elevado. Se porventura ele tivesse o nível de Piccolo ou de um androide, o 7o Universo não teria nada a temer.

3º – Freeza

Freeza seguiu por uma estratégia que deu certo 90% do tempo, mas que não saiu como planejado nos 10% finais. Seu jogo era muito simples e pragmático. Basicamente não se envolver em qualquer luta difícil e eliminar os lutadores consideravelmente mais fracos, evitando desgaste desnecessário. Sempre que pode, Freeza evitou que algum companheiro de time fosse jogado para fora da arena e ainda forneceu energia para Goku continuar lutando. Para tanto, ele se valeu de táticas CORRETÍSSIMAS em casos de vida ou morte, como mentir, atacar pelas costas e forjar lutas falsas. Ia tudo muito bem, até que sobraram apenas 2 universos e Freeza se viu obrigado a lutar para valer. Para um ser que não precisava treinar e se valer de grandes técnicas, esse final foi penoso. Isso se deve ao seu estilo de luta selvagem e falta de paciência, levando a rompantes de fúria que, diante de lutadores do mesmo nível ou acima dele, resultaram em 4 surras, 3 quase eliminações e diversos momentos de inconsciência. Mesmo assim ele foi capaz de dar uma significativa contribuição na reta final e foi de grande ajuda ao time ao se sacrificar junto ao Goku para eliminar o Jiren.

2º – Vegeta

Nosso príncipe dos saiyajins teve uma estratégia bem equilibrada, mesclando a agressividade em alguns combates decisivos, inclusive na reta final, e ajudando seus companheiros em outros momentos. Ele raramente buscou lutas complicadas e tentou se preservar o máximo possível, mas sem abrir mão de ajudar Goku em lutas dificílimas (muito mais pelo orgulho do que por estratégia). Raramente ele precisou de ajuda e, tirando o Jiren e a questão do Frost com o mafuba, não ficou em desvantagem em nenhum momento. Ele, na verdade, foi uma versão mais equilibrada e competente de Goku. Até mesmo quando caiu da arena, Vegeta foi útil ao dar seu resto de energia ao Goku. Considerando seu nível de poder e as regras do Torneio, ele foi perfeito. Kami-Sama salve nosso príncipe.

1º – Androide 17

Esse é o lutador que se transformou na referência do 7o Universo. Atacou pelas costas, atacou enquanto alguém se transformava, usou consistentemente de sua energia infinita, apelou para técnicas especializadíssimas, ficou atento o tempo todo aos pontos fracos de seus adversários, ajudou inúmeras vezes seus companheiros, jogou com as regras debaixo do braço, proferiu as melhores frases e, de quebra, foi o lutador que permaneceu na arena ao fim do Torneio. 17 conseguiu manter lutas que muitos consideravam improváveis, como contra Toppo deus da destruição, e “morreu” na arena para que seus companheiros pudessem continuar lutando (mas reapareceu no penúltimo episódio). 17 foi o lutador mais completo, com a estratégia mais bem definida e executada em relação as regras. Uma verdadeira pena ele ter passado a saga Boo e 80% de DBS sem aparecer. Hail to the king, baby!

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.