Garimpo NETFLIX #12: Sangue e Tripas

O Garimpo é um quadro do MetaFictions no qual indicamos toda semana bons títulos disponíveis nas maiores plataformas de streaming. Clique aqui para conferir os anteriores.


Sabe quando você quer desligar seu cérebro e apenas assistir um bom filme com muita violência? Para atender essa necessidade que é a válvula de escape de muitas pessoas, existe toda uma produção cinematográfica recheada de gêneros que visam saciar nossa sede por sangue. Temos os filmes de ação com operações militares, de ficção científica e de artes marciais, só para citar alguns. Além disso, sendo um dos expoentes dentro do mercado, as obras de terror sempre nos brindaram com clássicos que marcaram nossa infância e que nos chocam até os dias de hoje.

Inspirado por essa ânsia, apresentamos hoje 3 obras que diferem levemente uma da outra, mas que te entregarão o prometido: sangue e tripas. Aliás, todas as temáticas citadas receberam da casa Garimpos próprios e, se o que estiver aqui não for o suficiente para você se saciar, visite-os.

Garimpo Netflix: Anos 90!
Garimpo Netflix: Filmes de Ação!
Garimpo Netflix: Sci Fi
Garimpo Netflix: Guerra
Garimpo Netflix: Violência
Garimpo Netflix: Terror


Slasher, de 2016 – (2 temporadas), criado por Aaron Martin

https://www.youtube.com/watch?v=xUUY9Eia984

Slasher embarca na mesma onda de outras séries antológicas por temporada, como as consagradas “American Horror Story”, “American Crime Story” e, elevando o patamar aqui, “True Detective“. Dessa vez, seguimos em duas temporadas com o mesmo norte, mas com abordagens diferentes. Enquanto a primeira faz jus ao título, com um assassino em série daqueles que usam máscara para ocultar a identidade e matar adolescentes, na segunda seguimos com a reconstrução de um passado em flashbacks que leva a uma vingança que não sai como planejada.

Contando com releituras e homenagens a diversos clássicos do terror dos anos 80 e 90, Slasher consegue criar uma identidade e figura como uma das séries mais negligenciadas na NETFLIX. Caso você curta, fique esperto, pois a 3a temporada já está no forno.

O Albergue (Hostel), de 2005, dirigido por Eli Roth

Chegando ao mesmo tempo que “Jogos Mortais“, na metade da primeira década do novo milênio, O Albergue é um dos mais falados títulos desse subgênero que enaltece a violência gráfica a níveis chocantes. Esse é um longa direto e cru, dialogando com as forças mais primitivas dentro dos nossos cérebros. Nele acompanhamos um grupo de americanos fazendo turismo das drogas e sexo pela Europa, quando conhecem, em Amsterdã, uma pessoa que indica a Eslováquia como o antro da putaria. Claro que, chegando lá, as coisas não são bem assim e o Albergue do título esconde muito mais do que meras belas tetas eslavas.

Embora brutal e aparentemente sem conteúdo, para os mais atentos há aqui algumas críticas sociais muito interessantes, especialmente no que tange a prostituição, uso de entorpecentes, postura geopolítica norte americana e a pobreza do leste europeu. Mas só inicie o filme totalmente ciente da barbárie que você assistirá, com cenas de tortura que ficarão em sua mente muito tempo depois que você acabar o longa.

Orgulho e Preconceito e Zumbis (Pride and Prejudice and Zombies), de 2016, dirigido por Burr Steers

Você consegue imaginar zumbis há mais de 100 anos? Pois bem, contemple Orgulho e Preconceito e Zumbis. Pegando exatamente o cenário no qual se inspira e dando uma zuada no clássico livro de Jane Austen, temos aqui uma releitura muito interessante envolvendo a cultura, moral e ética no Reino Unido durante século XIX. Acompanhamos o drama de Elizabeth Bennet e as expectativas que cercam a criação de uma mulher nesse período, mas com um plus: agora é necessário saber as místicas e mortais artes de chutar bundas do oriente para enfrentar a praga que assola a Inglaterra, os zumbis.

Contando com os mesmos personagens em contextos diferentes, uma produção que nitidamente tinha uma verba gigantesca e comentários sociais utilizando mortos vivos como uma ferramenta criativa para espetaculares mortes e para discutir a exclusão de uma sociedade em transformação, Orgulho e Preconceito e Zumbis é um deleite até mesmo para quem nunca assistiu ou leu a obra original.

Caso você goste de proposta, não deixe de conferir a maravilhosa “Kingdom“, que se passa também em cenário semelhante, mas na península da Coreia.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.