Garimpo Especial: Animes

Vivemos na época de ouro dos animes. Apenas nos últimos 11 anos, METADE de todos os animes na história da humanidade foram produzidos, na sua grande maioria distribuídos no Brasil por plataformas de streaming. No início, a maior parte era exibida por streamings especializadas, mas como o público otaku é fiel e sempre vai dar uma conferida no que está sendo feito, grandes players do mercado como a Netflix entraram de cabeça nesse filão e hoje em dia são responsáveis por produzir e distribuir animes de grosso calibre.

Apresento hoje aqui um apanhado de animes de diversas dessas plataformas. Certamente você terá a oportunidade de conferir várias das obras apresentadas, sendo elas 7 séries e 3 longas. Inclusive, a frase “um dos melhores de todos os tempos” será recorrente, já que separei grandes obras em gêneros específico (ficção científica, comédia, drama, slice of life, fantasia, distopias, etc.), além de 2 clássicos absolutos dos animes que todo apaixonado por cinema deveria ver.

Então caso você assine Netflix, Prime Video, Crunchyroll, Funimation ou TeleCine não deixe de conferir essas pérolas.

– Steins;Gate, de 2011, 24 episódios, estúdio White Fox – Disponível no Funimation

Já com 10 aninhos de idade, começamos com o anime de venda mais difícil. Embora seja uma obra de referência dentro da ficção científica, trabalhando com viagem no tempo, Steins;Gate não possui aquele ritmo agradável e aquela estrutura didática sobre o tema como em “Erased“. Aqui não temos aquela gratificação imediata e mais da metade dos seus episódios parecem não apontar para lugar algum. Contudo, meu amigo, os episódios finais amarram a série e ressignificam a obra de tal forma que faz a sua cabeça girar.

Juntado absolutamente tudo de cinema e televisão já feito sobre viagem no tempo, Steins;Gate é “um dos melhores de todos os tempos”.


– Shimoneta (Shimoneta: A Boring World Where the Concept of Dirty Jokes Doesn’t Exist), de 2015, 12 episódios, estúdio J.C.Staff – Disponível no Funimation

“Pau Grande!” Assim inicia um dos melhores animes de comédia dos últimos 10 anos. “Sexterroristas” da SOX – organização que luta contra um governo repressor, guiado pela família tradicional e bons costumes -, que usam calcinhas no rosto para esconder suas identidades começam a cometer atos “hediondos” numa escola. Esses atos são nada mais nada menos aquilo que você recebe com frequência no grupo de putaria do zap-zap: distribuição de pornografia.

Com uma pegada divertidíssima, vemos adolescentes tentando entender seus corpos e como o sexo funciona em um mundo onde palavrão ou qualquer erotismo são proibidos. Mesmo sendo galhofado em muitos momentos, Shimoneta consegue te fazer rir e te dá uma bela de uma cutucada em padrões morais problemáticos na proporção certa.

– The Rising of Shield Hero, de 2019, 25 episódios, estúdio Kinema Citrus – Disponível no Crunchyroll

The Rising of Shield Hero é um isekai, ou seja, um anime onde o protagonista é levado para um mundo alternativo/paralelo/virtual e lá inicia a sua aventura. Nesse caso, jogando contra a tendência desse subgênero, o herói não é o fodão que conhece tudo desse novo mundo ou um ser com superpoderes. Aqui nosso protagonista só tem um escudo e ninguém gosta dele. Começa uma saga para acumular poder e salvar um mundo.

Abordando a toxidade dos gamers pelo mundo, The Rising of Shield Hero é cativante e te faz apreciar personagens a quem normalmente não damos valor. Esse é o momento perfeito para você assistir, já que a segunda temporada foi anunciada para esse ano.


– Keep Your Hands off Eizouken!, de 2020, 12 episódios, estúdio White Fox – Disponível no Crunchyroll

Eu tenho um “Top 10 Animes de Todos os Tempos”. Nessa lista impecável e que venho tatuando em meu corpo, estão obras recentes, como o maravilhoso “Mob Psycho 100“, o bestial “DEVILMAN crybaby”, e outros clássicos que já tem mais de 15, 20 anos. O mais novo membro dessa família é o espetacular anime que vos apresento: Keep Your Hands off Eizouken!

Cá estamos com o melhor Slice of Life que já vi. Neste tipo de obra, não temos antagonistas, não estamos salvando o mundo, ninguém tem superpoderes e nem traumas a serem superados. São apenas 3 meninas em um clube escolar tentando fazer animes. Tecnicamente é um esplendor e dialoga profundamente com a criança que existe dentro de você. Vale mencionar que Eizouken! foi indicado em diversas categorias no Oscar dos Animes esse ano e papou vários, incluindo melhor animação.

– The Great Pretender, de 2020, 23 episódios, estúdio Wit Studio – Disponível na Netflix

Falando em um anime tecnicamente impecável, que foi indicado em diversas categorias no Oscar 2021 dos animes, apresento The Great Pretender. Do mesmo estúdio responsável pelas 3 primeiras temporadas de “Attack on Titan”, temos aqui uma produção bem autoral em sua proposta visual.

Com tons vívidos e uma paleta de cor bem avermelhada, somos conduzidos por 4 cenários de golpes ou heists em alguns locais espalhados pelo mundo. Vamos desde mercado negro de obras de arte, passando por traficantes de drogas e chegando à venda de escravos. Embora tudo seja muito ambíguo (e talvez aí resida a graça da série), somos constantemente jogados de um lugar para outro num estalar de dedos. Curte plot twist? Então é curtir um dos melhores animes originais da Netflix.


– DoroHeDoro, de 2020, 12 episódios, estúdio MAPPA – Disponível na Netflix

É um tanto complicado explicar DoroHeDoro sem estragar a sua trama. Cá estamos em um mundo com duas dimensões, uma com seres sem poder – alguns antropomórficos – vivendo em anarquia e pobreza e outra dimensão com seres mágicos que acham que cagam goma. Começa aqui a saga de Caiman, que teve seu rosto transformado em um rosto de lagarto e a memória apagada, buscando um feiticeiro para desfazer o trabalho que jogaram nele.

Com um desenho de personagens surreal, violência grotesca e uma história complexa, DoroHeDoro fecha nosso trio de animes lançados em 2020 cujos ovos foram babados fortemente pela crítica.
– Promare, de 2019, 1h51min, estúdio Trigger – Disponível no Prime Video

Aqui é 8 ou 80. Ou você abandona o longa em 15 minutos ao ter um ataque epilético ou vai ficar maravilhado com a ação frenética do início ao fim. Promare conta a história de um grupo de bombeiros que luta não só contra incêndios, mas contra seres que os provocam, os burnish. Esses seres são humanos que despertam uma chama que – em alguns casos – conseguem controlar, usando seus poderes para o bem e para o mal.

Contando com uma animação caótica, muito vetorial, que te engole, e recheado de reviravoltas envolvendo questões éticas e muita ficção científica, Promare é uma pérola dentro do catálogo do Prime Video.


– Babylon, de 2020, 12 episódios, estúdio Revoroot – Prime Video

Babylon é sem dúvida um dos animes mais desconfortáveis que já assisti. Todo seu enredo gira em torno da legalização do suicídio e tudo o que envolve o ato de tirar a própria vida nos âmbitos éticos, morais e filosóficos. Toda essa discussão ocorre em níveis nacionais – no Japão, claro – e escalona para a ONU, enquanto uma força tarefa policial tenta achar uma assassina em série que faz com que suas vitimas se suicidem.

Esse é um anime que te tira do eixo e aborda temas que definem o próprio ser humano.

– Akira, de 1988, 2h04min, estúdio Tokyo Movie Shinsha – TeleCine/Netflix

O TeleCine e a Netflix têm em seu catálogo os dois animes longa-metragem que definem muito elementos dentro do Cinema como um todo. Nesse caso em questão, estamos falando de Akira, filme que é um marco na animação e no gênero de distopias cyberpunk, feito há mais de 30 anos.

Acompanhamos aqui conspirações governamentais, seres com poderes psíquicos de fazer professor Xavier ficar com inveja, lealdade e amizade elevados a décima potência e muita, MUITA, violência gráfica com uma animação que seria considerada magistral caso fosse lançado hoje. É simplesmente um marco geracional tanto para os animes enquanto mídia quanto para o próprio Cinema como um todo.

Ela inclusive figura em nosso Top 10 Animações em uma posição de prestígio.


– Ghost in the Shell, de 1995, 1h22min, estúdio Production I.G – TeleCine/Netflix/Prime Video

O outro anime longa metragem embaixador do Japão é o icônico Ghost in the Shell, que figura no meu top 5 de longas animados de todos os tempos. Além da questão técnica soberba, mergulhamos aqui numa trama complexa, esbarrando em questões existenciais guiadas por uma inteligência artificial. Seguimos com a nossa protagonista, uma detetive com o corpo cibernético, que tenta descobrir o responsável por hackear o cérebro da uma intérprete de um figurão.

Sendo bem curtinho, o ritmo aqui é acelerado e a história é densa, mal dando tempo de você piscar os olhos.

Nenhum comentário

Tecnologia do Blogger.