Halloween, dirigido por David Gordon Green, lançado em 25 de outubro

“Apesar de trazer de volta Jamie Lee Curtis a um papel saudosista de 4 décadas atrás, apesar de recriar o clima tão explorado ao longo desse tempo, e colocar em ação o monstro humano de máscara, uma vez mais, Halloween é uma sequência de tensão já conhecida e sentida que faz do filme uma mera justificativa para se homenagear o aniversário de seus personagens.”
Por Rene Michel Vettori em crítica publicada em 28 de outubro


– Robin Hood – A Origem (Robin Hood), dirigido por Otto Bathurst, lançado em 29 de novembro

“Escrever estas linhas já está me fazendo mal. Eu fui ao cinema com vontade de gostar disso. Eu lia tudo que podia sobre Robin Hood quando moleque e estava até mesmo ok com o fato de que esta obra seria uma reinvenção do mito, mas, puta que me o pariu, o que fizeram aqui foi basicamente uma coisa que tem nada ou pouco a ver com o mito de Robin Hood e meteram seu nome no meio para tentar faturar em cima da fama. E isso tudo seria ok se o que fizessem fosse bom, mas não é o caso. Trata-se do filme mais esquecível do ano e é bom que assim seja, pois perder duas horas no cinema assistindo já é demais.”
Por Gustavo David em crítica publicada em 29 de novembro

Sugestões para você: