Há um lugar especial reservado no inferno para os amantes da sétima arte. Nele, há uma tela gigante passando “Cinderela Baiana” em um loop eterno. No entanto, todo ano os produtores de cinema, de TV e do mundo todo fazem uma competição acirradíssima para convencer o nosso glorioso mochila de criança a trocar o grande e único clássico da Axé Cinema por uma nova obra. E este ano pela primeira vez, segundo minhas fontes satanistas, JJ Abrams chegou muito perto, mas a Rainha Carla Perez segue soberana lá embaixo.

Foi por pouco, JJ!

Nem todo mundo tem por trás de si uma máquina como a Disney e, portanto, nem todos conseguem dar cagadas portentosas, épicas e grandiosas como a produtora que hoje detém um quasi-monopólio nos cinemas. O MetaFictions, contudo, não esquece dos pequenos, dos cineastas do mundo todo que tanto se esforçam para fazer obras absolutamente lamentáveis mesmo sem orçamento, mesmo sem atores, mesmo sem roteiro e muitas vezes até mesmo sem diretores, eles vão lá e fazem por amor ao cinema e para a desgraça do espectador.

Estas são as obras que receberam as piores notas do ano de 2019 aqui no MetaFictions, que se mantém fiel na tarefa de prestar um serviço de utilidade pública ao permitir que vocês poupem o tempo de vocês em vez de assistir a essas bombas. Abram por sua conta e risco e não deixem de conferir nossas listas dos anos anteriores.

Os Filmes de Pior Avaliação de 2017 do MetaFictions
As Obras de Pior Avaliação de 2018


O Manicômio (Heilstätten), dirigido por Michael David Pate, lançado em 2 de janeiro

“Manicômio, portanto, é um daqueles filmes que põem a prova o quanto uma fórmula de nada significa se você não souber aplicá-la. Uma obra de terror que revisita tantos lugares-comuns e erra com convicção na forma com que rege os elementos do gênero. Com uma premissa promissora, o resultado é um tanto quanto patético. Uma pena, parecia ter tanto potencial.”
Por Rene Michel Vettori em crítica publicada em 4 de janeiro

Sugestões para você: