Paradise Beach, dirigido por Xavier Durringer, original Netflix disponibilizado em 8 de novembro

“O único lado bom desse filme ter sido lançado aqui é porque, como eu já falei em outras críticas de filmes franceses (“A Mansão“, “Crazy Trips – Budapeste” e “Alerta Lobo“), ele ajuda a desmistificar aquela impressão que temos em terras tupiniquins de que a França só produz filmes altamente intelectualizados, com pessoas sempre fazendo biquinho e ruminando sobre a obra de Sartre e Foucault (Alô, Larissia!). Lá – como aqui, como nos EUA e como no resto do mundo – há uma produção enorme de filmes genéricos, bestas, que nada agregam a porra nenhuma e Paradise Beach é mais um deles.”
Por Gustavo David em crítica publicada em 8 de setembro


Cats, dirigido por Tom Hooper, lançado em 28 de dezembro

“Com isso, aprendemos que nem todo material funciona bem se adaptado para outra plataforma, seja ele um livro, HQ, musical, peça e até videogame. É triste ver 2019 encerrando com essa atrocidade nos cinemas, desrespeitando o legado de um maiores musicais da Broadway, apesar de não ser meu favorito. Pior filme do ano? Com certeza. Da década? Talvez.”
Por Valentina Schmidt em crítica publicada em 29 de dezembro

Sugestões para você: