Num ano desgraçado, morfético, lazarento, infeliz e nefasto para toda a população mundial que não se chama Jeff Bezos e mais uma meia dúzia, a arte nunca foi tão importante. Mas como consumi-la em tempos de pandemia? Felizmente, com o famoso advento da internet, são muitas as ofertas de boas obras do audiovisual pipocando nas mais diversas plataformas, o que, quero acreditar, ajudou muita gente a manter a sanidade, assim como me ajudou.

Todo ano a nossa listagem inclui as obras que receberam a nota máxima do site – cinco claquetes -, mas este ano, devido a escassez de grandes lançamentos em função da pandemia, incluímos também algumas obras que receberam a segunda nota mais alta pra dar um pouco mais de recheio ao rol das grandes obras do ano e que foram resenhadas pela nossa equipe. Cabe lembrar que semana que vem lançaremos o Top 10 oficial do ano, contando com a votação de todos os colaboradores do MetaFictions e valendo absolutamente tudo que foi lançado entre 1º de janeiro e 31 de dezembro.

Sem maiores delongas, vamos à lista, mas não deixem de conferir abaixo também as listagens dos anos anteriores!

Os Filmes Mais Bem Avaliados de 2017 do MetaFictions
As Obras Mais Bem Avaliadas de 2018
As Obras Mais Bem Avaliadas de 2019


O Farol (The Lighthouse), dirigido por Robert Eggers, lançado nos cinemas em 2 de janeiro de 2020

“Seja lá qual for a maneira como você irá interpretar os ocorridos do filme, com um olhar mitológico, ou de um ponto de vista lovecraftiano, ou de uma maneira filosófica, acredito que todos podem concordar que, a simplicidade – a história de dois faroleiros presos em uma ilha – basta para fazer um filme verdadeiramente especial, fazendo esse humilde amante de cinema remar até aquela pequena ilha no meio do gigantesco mar coberto por uma sombria névoa e me encantar com a luz no meio da escuridão.”
Por Gabriel Eskenazi em crítica publicada em 3 de janeiro

Sugestões para você: