O CinePigmeu de hoje vem unindo alguns quadros do MetaFictions ao mesmo tempo: o de curta-metragens, o de críticas e o MovieBattle.

Da Inglaterra, mais um vez, trazemos uma obra de 12 minutos, que promove grandes discussões, apesar da experiência cinematográfica ficar devendo. Em 2014, Ben Aston lança He Took His Skin Off For Me (Ele Tirou Sua Pele Por Mim, em tradução livre), produção que demorou cerca de dois anos para ser concluída. Baseado em um conto de Maria Hummer, ela e Ben escreveram o roteiro com questões que irão fazer o espectador se identificar bastante. No entanto, talvez por estarem presos à literatura do material original, o curta peca em recursos exclusivos do Cinema.

Ele, ela e nós

Com uma atmosfera muito bem pensada, essa bem feita produção deixa a narração em off resolver a maioria da história, levando o espectador pela mão o tempo inteiro, e não aprofundando algumas simbologias que me pareciam tão necessárias. Apesar disso, um dos pontos mais interessantes do filme é a diferença de sensações e interpretações que ele pode causar. Não à toa, duas críticas foram produzidas por nós fazendo reflexões acerca de relacionamentos, a partir do que o curta promove no espectador; e esses dois textos discordam, entre si, em absoluto.

Um exercício belíssimo é ver o curta, senti-lo e, então, saber o que cada um de nossos dois críticos absorveu do conto. Não deixando, certamente, de nos falar um pouco da sua percepção acerca do assunto. Estamos curiosos pela sua interpretação.

He Took His Skin Off For Me, por Larissa Moreno.

He Took His Skin Off For Me, por Fantasma do Trem.

Sugestões para você: