José Guilherme Vereza é redator de propaganda, diretor de criação, roteirista, escritor de quatro livros ficcionais publicados, professor universitário e metido a cozinhar aos domingos. Gosta de futebol e cinema. Embora graduado em Comunicação, se entrega a filmes como um mero espectador, deixando a obra entrar pelos seus poros, veias e retinas. Estes são os seus termômetros mais precisos para sentir o que viu. Depois, até lê críticas e resenhas para ver se conferem com seus sentimentos. Vive repetindo um pensamento de Gilberto Gil: “tão importante quanto o talento para fazer música é o talento para apreciar música”. ZéGui se considera um simples apreciador do que passa nas telas. É feliz assim.

Nostalgia: Perdidos na Noite (Midnight Cowboy)

Se fosse para ter um título, esta crônica se chamaria “Meu despertar.” Explico: um amigo me perguntou qual filme me acordou para a paixão pelo cinema e depois de alguns instantes de reflexão, exclui os primeiros encantamentos infanto-juvenis – Jerry Lewis, Oscaritos, “A Guerra…

Nostalgia: Amargo Pesadelo (Deliverance)

Um casal da alta sociedade paulistana faz uma festa de casamento em grande estilo. Ela, uma patricinha virgem, ele, um machão dado a se relacionar com orgias, garotas de programa fortunosas, experiências adequadas ao pensamento de que noiva é para casar, sexo é com…

Nostalgia: Quanto Mais Quente Melhor (Some Like It Hot)

Minha filhas têm mania de ranquear as coisas. “Pai, quais as suas 10 melhores atrizes?”. “Pai, quais os seus 10 melhores atores?”.” Pai, quais os seus 10 pratos preferidos?”.” “Pai, quais os seus melhores jogadores de futebol?”. “Pai, quais suas 9 melhores bandas?” Neste…

Nostalgia: O Baile dos Bombeiros (Horí, má panenko)

Quando Milos Forman morreu em abril deste ano, fui inundado por uma enxurrada de lembranças de filmes inesquecíveis. A saber, sem juízo de ordem cronológica: “O Estranho no Ninho” (com Assista! aqui no site), “Hair”, “Procura Insaciável”, “Amores de uma Loura”, “Valmont”, “Amadeus”, “O…