José Guilherme Vereza é redator de propaganda, diretor de criação, roteirista, escritor de quatro livros ficcionais publicados, professor universitário e metido a cozinhar aos domingos. Gosta de futebol e cinema. Embora graduado em Comunicação, se entrega a filmes como um mero espectador, deixando a obra entrar pelos seus poros, veias e retinas. Estes são os seus termômetros mais precisos para sentir o que viu. Depois, até lê críticas e resenhas para ver se conferem com seus sentimentos. Vive repetindo um pensamento de Gilberto Gil: “tão importante quanto o talento para fazer música é o talento para apreciar música”. ZéGui se considera um simples apreciador do que passa nas telas. É feliz assim.

Nostalgia: O Baile dos Bombeiros (Horí, má panenko)

Quando Milos Forman morreu em abril deste ano, fui inundado por uma enxurrada de lembranças de filmes inesquecíveis. A saber, sem juízo de ordem cronológica: “O Estranho no Ninho” (com Assista! aqui no site), “Hair”, “Procura Insaciável”, “Amores de uma Loura”, “Valmont”, “Amadeus”, “O…