Historiadora e pesquisadora, feminista, cinéfila de carteirinha, professora, escritora. Escrevo com coração, precisão, preguiça, conforto, densidade, conteúdo ou tudo isso ao mesmo tempo.

Crítica: De Quem É a Culpa (Guilty)

O movimento #metoo foi um dos cada vez mais frequentes momentos em que uma febre na internet abre espaço para uma discussão relevante – para logo em seguida, é claro, perder o foco ou se esvaziar pela quantidade de gente protegida pelo confortante sigilo…

Crítica: A Trincheira Infinita (La Trinchera Infinita)

Um filme sobre a resistência diante da ascensão mundial do fascismo no fim da década de 30, da perspectiva espanhola pós-guerra civil, parece, no mínimo, interessante e digno de uma chance. Higinio (Antonio de la Torre) faz parte do movimento revolucionário de esquerda e,…

Crítica: Retrato de uma Jovem em Chamas (Portrait de la jeune fille en feu)

Céline Sciamma é conhecida pelo excelente “Tomboy” e pelo subestimado “Garotas”, mas é em Retrato de uma Jovem em Chamas que se mostra impecável, tanto como diretora quanto como roteirista, tendo com este filme levado pra casa o prêmio de Melhor Roteiro do Festival…

Crítica: Don’t F**k with Cats: Uma Caçada Online (Don’t F**k with Cats: Hunting an Internet Killer)

Nasci em uma casa que tinha gatos e tive gatinhos até menos de um ano atrás, quando me mudei pra morar sozinha. Tenho dois tatuados no corpo: o Tabi, um gatinho que tive ao lado por mais de 10 anos, e a Lucky, uma…

Crítica: Resgate do Coração (Christmas in the Wild)

Há alguns filmes que te deixam atropelados. Aqueles que fazem repensar sobre seu próprio ser, sobre suas escolhas e formas de ver a vida. Aqueles que te fazem acessar sentimentos adormecidos ou trazem sentimentos inéditos e irreplicáveis. Ou os que são tamanha obra prima…

Crítica: O Despertar de Motti (Wolkenbruchs wunderliche Reise in die Arme einer Schickse)

A temática religiosa é um material muito rico que dá ótimos frutos se bem trabalhada no cinema. O último filme que assisti que passa dentro da comunidade judaica foi o brilhante “Desobediência”, em 2018, e pude mergulhar profundamente em sua narrativa que questionava os…