Marco Medeiros às vezes acha que nasceu há dez mil anos atrás. Mil e uma utilidades, é professor e faz-tudo das palavras. Pai do Tequila, um pug com o demônio no corpo, se não fosse filho de seus pais queria ser fruto do cruzamento da Rita Lee com o Tom Hanks. Mexeu com Meryl Streep, mexeu com ele. Instagram: @marcomedeiros2009 Facebook: Marco Medeiros

Crítica: Minha História (Becoming)

Michelle é uma mulher admirável. Bem-sucedida, inteligente, humana, articulada. Carismática e poderosa, ela é um modelo para milhares de jovens que, tal como ela, oriundos de minorias e pertencentes a classes menos privilegiadas, sonham em ocupar espaços negados a eles por uma sociedade construída…

Crítica: Hollywood

O mundo precisava voltar a sonhar depois de um dos maiores horrores que a Humanidade presenciou: a Segunda Guerra Mundial. E, em busca de sonhos (e grana, que ajuda a sonhar melhor ainda), jovens aos montes rumaram para um famoso distrito da cidade de…

Crítica: Atrás da Estante (Circus of Books)

Karen e Barry Mason são um daqueles casais de velhinhos de filme. Ela, uma típica idishe mame, dessa cepa de mulheres judias fortes, dominadoras, centrais na família e atuantes na sinagoga. Ele, sintetizado na frase “procure o careca sorrindo”. Solar, bonachão, paizão. Três filhos,…

Crítica: LA Originals

Talvez uma das funções mais interessantes dos documentários, marcada já na etimologia e no radical do termo, seja a capacidade de se tornar um documento mesmo. Mas, graças à magia e aos artifícios do cinema, esses filmes conseguem escapar da frieza dos textos acadêmicos…

Crítica: O Oficial e o Espião (J’Accuse)

O Caso Dreyfus é considerado um dos maiores escândalos morais e de erro de julgamento da história militar da França. Alfred Dreyfus, um oficial judeu do Exército, é acusado de alta traição em 1894, por passar informações para os alemães. Condenado, ele é sentenciado…

Crítica: Jojo Rabbit

O cinema já abordou uma das maiores feridas da Humanidade, o Nazismo, de várias formas. Inclusive pelo humor. Se, concordando com Freud, muitas vezes a piada é um mecanismo para lidar com traumas, filmes como “O Grande Ditador” e “A Vida é Bela“ nos…