Marco Medeiros - Metafictions

Marco Medeiros às vezes acha que nasceu há dez mil anos atrás. Mil e uma utilidades, é professor e faz-tudo das palavras. Pai do Tequila, um pug com o demônio no corpo, se não fosse filho de seus pais queria ser fruto do cruzamento da Rita Lee com o Tom Hanks. Mexeu com Meryl Streep, mexeu com ele.

Crítica: Café (Caffè)

Apesar de ser professor, espécie a qual o senso comum credita a característica de ser movida por esse negro líquido, nunca fui fã de café. Até bebo, mas sem paixão. Minha relação mais próxima com a beberagem se dá pelo vício de repetir várias…

Crítica: Alguma Coisa Assim

Vivemos tempos líquidos. É assim que, em seu já nascido clássico, Modernidade Líquida, Zygmunt Bauman apresenta os nossos dias. Avessos à solidez que marcou os períodos anteriores, vivemos uma época de fluidez, na qual nada é permanente, totalizante ou totalmente perceptível e capaz de…

Crítica: Egon Schiele: Morte e Donzela (Egon Schiele: Tod und Mädchen)

“Desculpe, 100 anos de idade, mas ainda é muito ousado para os dias de hoje.” Cobrindo corpos nus pintados pelo artista, essa frase ilustrou painéis em lugares públicos na Grã-Bretanha e na Alemanha durante a divulgação de uma exposição das obras de Egon Schiele…

Crítica: O Amante Duplo (L’amant double)

O Amante Duplo (L’amant double) “O corpo é o corpo e além do corpo repercute o abismo”. A frase encontrada no mais belo capítulo de As doze cores do vermelho, de Helena Parente Cunha, um dos livros mais  ousados da literatura brasileira, é um…

Crítica: Baronesa

“A vida é pesada para  se carregar”. Atual e verdadeira, esta frase não foi dita por nenhum youtuber ou descoberta em um story no Instagram. Ela consta, na verdade, em uma das cenas de As três irmãs, de Anton Tchekhov, peça escrita na Rússia…

Crítica: Gnomeu e Julieta – O Mistério do Jardim (Sherlock Gnomes)

Começo a escrever esta crítica olhando um dos cartazes que decoram minha sala. Com sua carinha marota, Audrey Tautou me olha e eu penso “você que fez isso”. Desde “O Fabuloso Destino de Amélie Poulain” que gnomos de jardim voltaram a ser objetos cult. Desembocando neste…