Vlamir Marques - Metafictions

Meus amigos me chamam de Jedi, por motivos óbvios. Se precisasse descrever minha profissão, diria que sou um Mestre do Jogo, apesar de minha carteira de trabalho dizer "Publicitário", meu currículo dizer "Fotógrafo", as pessoas me chamarem de "Teacher" e eu sonhasse em ser "Maestro" aos 5 anos. Não sei se sou um cinéfilo. Antes disso, amo as histórias, sejam contadas por palavras, imagens ou sons. Gosto mais da manhã que da noite, mais de chocolate quente que de café, mais de sorrir do que de entender. Welcome and May the Force be with you... Always.

Critica: Shiki Oriori: O Sabor da Juventude (Si shi qing chun)

Marcel Proust foi um escritor fancês que nasceu na virada do século XIX e se tornou famosíssimo com sua obra “Em Busca do Tempo Perdido”, um livro de quatro mil páginas divididas em sete volumes. Seu livro fala de lembranças de tempos passados, de…

Crítica: Minha Primeira Caçada (The Legacy of a Whitetail Deer Hunter)

Deus um dia disse a Adão e Eva: “Meus filhos, trago-lhes dois presentes muito especiais. O primeiro é o Pênis.” E Adão se pôs a saltar e gritar “Eu quero! É meu! Me dá! Me dá! Me dá! Eu pedi primeiro!” Deus olhou para…

Critica: Duck Butter

Esmegma. É ao mesmo tempo a tradução livre do título do filme e também sua sinopse. Bonito, não? E é isso aí mesmo. Só não posso explicar o porquê, porque seria spoiler. Duck Butter, lançado ontem na Netflix, é um desses filmes bem difíceis de…

Crítica: Kiss Me First – 1a Temporada

Quando a gente chegou ao ano 2000 nada aconteceu. Jesus não veio, o mundo não acabou, não fizemos contato com alienígenas e tampouco as máquinas tomaram conta do planeta. O mais perto que chegamos de qualquer dessas coisas foi o advento dos Massively Multiplayer…

Crítica: Pérolas no Mar (Hou lai de wo men)

Há apenas 3 filmes que eu considero obras-primas do cinema – todos estrelados, coincidentemente, por Brad Pitt – que eu espero nunca mais assistir na vida: “Os 12 Macacos”, “Clube da Luta” e “Seven – Os Sete Pecados Capitais”. Os filmes dessa “lista negra”…

Crítica: Maktub

“Já estava escrito”. Pra quem não sabia (como eu), esse é o significado da palavra árabe Maktub, que dá nome ao lançamento dessa sexta feira na Netflix. O filme conta a história de Chuma (Guy Amir, que atuou no aclamado “Munique” de Steven Spielberg)…