Seguem spoilers brutais e nomes de personagens escritos conforme meu gosto. Às vezes será no aportuguesado do japonês, às vezes será como traduzido para o Brasil.

Caros otakus do MetaFictions, esse foi um episódio brutal. Não só pelas lutas, mas por ter definido aspectos importantes do Torneio do Poder e, infelizmente, as lutas decisivas não têm sido a tônica desse arco. Tivemos no episódio 111 lutas não significando nada e com mais uma vez a porra da Ribrianne, agora acompanhada da Rozie, enchendo o caralho do saco com o papo do poder do amor. Eu já não a quero mais só fora da arena, eu a quero morta.

O episódio começa com Freeza ajudando Goku, fornecendo um pouco da sua energia para que ele ficasse minimamente funcional após ter sido usado como esfregão para limpar o chão da arena pelo Jiren. Obviamente que Freeza não o faz por empatia, mas para ele não ter que lutar contra o que ele chama de monstro, nosso amigo alien cinza com grandes olhos negros. Lembrando bastante os aliens que visitam a Terra para colocar sondas anais no Eric Cartman. (Nota do Editor: E também no autor dessa crítica, Ryan Fields, o auto-intitulado eventualmente abduzido. Todos sabemos o que isso quer dizer.)

Apesar dos pesares no que se refere a este arco, o desenvolvimento do Freeza como um personagem carismático tem evoluído consideravelmente. Talvez, junto com o Andróide 17, seja o personagem do 7º Universo que mais está levando a sério o torneio, jogando com as regras debaixo do braço.

Uma vez recuperado, Goku corre pra assistir a luta entre Hitto e Jiren. Vale mencionar que, enquanto Goku assistia, 2 seres se alinharam sorrateiramente pelas costas de nosso protagonista e dispararam rajadas de ki. Eis que Gohan e seu mestre Piccolo aparecem (feliz dia dos professores!), bloqueiam os golpes e se apresentam para o combate.

Seus adversários são os 2 namekuseijins do 6º Universo que aparecem pela 1ª vez no torneio. Há muito eu aguardo esse embate de seres da mesma espécie, especialmente por ver como Piccolo vai reagir ao lutar contra alguém da sua própria raça. Será que vai rolar uma fusão de corpos no estilo namekusei? Seria interessante.

O que todos esperávamos nesse episódio era o confronto entre Jiren e Hitto. Apesar de suspeitar fortemente que Jiren não seria derrotado por uma questão de roteiro, uma vez que ele é nosso antagonista (?!), cenas surpreendentes ocorreram.

Goku tem enfrentado em DBS uma série de guerreiros superiores que ele não consegue derrotar. É o caso do Bearus, do Golden Freeza (ao destruir o planeta Terra), Gattai Zamasu, Jiren, Kale SSJ Berserker e o próprio Hitto. Embora vocês possam argumentar que Goku tenha capacidade de derrotar alguns dos citados e, inclusive, já o tenha feito em algumas oportunidades, ele sempre dependeu de alguém mais forte para ajudar, seja um deus ou regras de algum torneio.

Hitto, além de absurdamente forte, é muito versátil, possuindo algumas das melhores técnicas apresentadas no DBS. Isso tudo sem mencionar suas táticas e percepção da luta. Ele coloca tudo isso em prática durante o seu confronto contra um ser nitidamente superior em termos de poder e, por MUITO POUCO, não o derrota.

Vemos Jiren na beiradinha da arena, parcialmente paralisado por uma das técnicas de Hitto, mas seu poder é tão grande que ele consegue bloquear o golpe derradeiro e se libertar da paralisia, arremessando Hitto para fora da arena. Com isso cai o 1º gigante do torneio.

E exatamente nesse momento, enquanto Hitto se materializa na arquibancada e escutamos palavras de consolo de Champa, Daishinkan avisa que o torneio chega a metade do tempo previsto.

Com um final que define algo muito importante, o episódio 111 mostra o que poderia ser o torneio: brutal e com batalhas rápidas e conclusivas. Agora só falta a Ribrianne morrer para que o amor prevaleça.

Sugestões para você: