Olá, otakus do MetaFictions. Hoje tivemos um episódio consideravelmente melhor que o anterior. Não falo isso somente pela animação, que estava magnífica, a nível de filme, nem pela bela trilha sonora, que raramente se destaca durante um episódio.

Falo isso porque, apesar de ninguém ter caído da arena, o Torneio andou para frente, apresentando algumas questões inéditas. Tivemos também mais coerência com o nível de poder dos envolvidos nas lutas, embora o episódio não tenha escapado ileso nesse âmbito (bem frequente em DBS).

Vou ignorar a chamada que, ao que parece, será uma constante daqui para frente nos episódios exibidos pelo Crunchyroll. Recomendo fortemente que você pule esses 30 segundos para não ser “spoilado” sobre tudo o que ocorrerá.

O episódio 114 continua a luta entre Goku e as duas saiyajins do 6º Universo, Kale e Caulifla. Embora não tivesse muito para onde correr, DBS teve que continuar investindo no protagonismo de Goku no Torneio, mas isso já causa certo cansaço. Há quanto tempo não vemos os androides 18 e 17? Ou Gohan e Piccolo? Após a queda do mestre Kame – que recebeu a atenção devida em belíssimos momentos no episódio 107 – só tivemos um pouco do Freeza e menos ainda do Vegeta.

Vale ressaltar que ambos aparecem nesse episódio. Vegeta arrogante como sempre se achando o saiyajin mais forte de todos os universos e Freeza doido para entrar no ménage do Goku com a Kale e a Caulifla.

Freeza ainda se “envolveu” em uma luta que trouxe uma bonita homenagem, eu acho… Ainda fico em conflito e confuso quando vejo uma homenagem em DBS, não sei se era para ser uma homenagem mesmo ou se era para apelar para nossa nostalgia. Durante o ménage, Goku acaba entrando no meio da luta do Freeza com o Katopesla, que me lembrou muito o Grande Saiyaman na sua forma de falar e na sua postura.

Katopesla faz absolutamente nada e aparenta ser muito fraco. Esse desperdício de personagem que me incomoda profundamente. A essa altura do Torneio não era para ter tanto guerreiro com nível baixo na arena.

Tenho que dar uma menção honrosa para o ménage do episódio, bem brutal e bem animado, que FINALMENTE apresentou combates covardes. Goku sendo pego por trás, 2×1 ao mesmo tempo e o uso de técnicas pertinentes para defesa que vemos muito pouco. Incluindo aqui energia sendo disparada pelos pés (esse parágrafo parece até análise de hentai).

Kale domina 100% o lendário SSJ Berserker e faz com que Goku precise usar o modo deus. E quando ele assume essa forma seu poder fica muito acima das duas, mostrando certa coerência. A grande cagada que o DBS fez foi mostrar Kale, lá no início do Torneio, bagunçando Goku na forma SSJ Blue. Isso deixou esse equilíbrio entre ele na forma deus e Kale na berserker, com a Caulifla no SSJ2, um tanto falso. Mas vamos fechar os olhos e aproveitar.

Eis que a Caulifla pede para Kale usar aqueles objetos que estavam com ela, dados pelos deuses de seu universo. Os famosos brincos Potara, que fundem os corpos, poder e personalidade de quem os coloca. Fusão essa agora temporária, caso você não seja um deus (assim explicado mal e porcamente na saga Zamasu).

Vale aqui alguns questionamentos. Já caguei, assim como o anime, para o uso de armas externas. A questão é por que não usar a fusão Metamoru? O requisito exigido era apenas ter biótipo parecido (que elas têm), além de estarem com nível de combate nivelados. O único problema seria fazer a dança de forma errada e fundir em um ser patético, como já ocorreu em DBZ. Mas nada que um treino antes do torneio não resolvesse.

Usar uma fusão em um torneio que vence quem tiver mais lutadores na arena após o término do tempo é uma jogada muito arriscada, especialmente pelo tempo restante. Agora o 6o Universo tem 1 a menos na arena.

Sempre me perguntei… e se os brincos fossem usados por um ser do sexo masculino e outro feminino? E se fosse um robô e um ser orgânico? Muitos questionamentos e poucas respostas.

Finalmente, enquanto parte da plataforma caía com as duas rumo à eliminação, a fusão ocorre e surge um titã no torneio, a Kefla. Veremos no próximo episódio quão forte ela é, mas, já pelo pouco mostrado, deve ser MUITO forte. Em sua forma base ela aparenta ser mais forte que o Goku na forma deus. Vamos lá, DBS… não me decepcione.

Sugestões para você: