Como já é a praxe aqui do MetaFictions em nossos reviews de episódios de séries, teremos spoilers do episódio e da série inteira no texto a seguir. Curta, compartilhe e siga o MetaFictions nas redes sociais.



Começamos começando nesse episódio 117. Não há descanso na ação frenética após a eliminação de Kefla, com Goku esgotado na arena e totalmente exposto. O uso do Instinto Superior parece exigir muito do corpo. O que nos leva à pergunta: caso Jiren também esteja usando o Instinto Superior, a sua meditação é a forma dele recuperar energia? Veremos.

Ao perceber que Goku está exposto, Piccolo e Gohan – que ainda não fizeram porra nenhuma nesse torneio – correm para protegê-lo, mas são interrompidos pelos Namekuseijins do 6º Universo. Eles tiveram sua luta interrompida pela luta de Goku e Kefla e, ao que parece, retomarão o embate no próximo episódio.

Sempre deixei claro aqui nas críticas que ambos são meus personagens favoritos e me é muito frustrante ver que o anime os deixa de lado. Mais frustrante ainda é ver Gohan sem qualquer destaque. Ele é um dos seres mais poderosos do 7º Universo e parece que está acima apenas dos humanos nesse time. No seu treinamento com Piccolo parecia que ele tinha voltado a velha forma do final da saga Boo, o que lhe renderia ali uma posição de destaque no torneio, mas não é o caso. Tanto Gohan quanto seu mestre são os lutadores do 7º Universo que menos aparecem.

Como sempre tivemos nesse torneio, o Vegeta aparece para demonstrar sua paixão encubada por Kakaroto. Ele até usa o fraquíssimo Katopesla nessa fantasia bondage. Enquanto Vegeta tenta alcançar o Instinto Superior ao abaixar a guarda e limpar a mente, Katopesla o sodomiza contra a parede, até que a paciência de Vegeta acaba e ele arrebenta nosso mais famoso membro do elenco de apoio. E, embora esteja falando aqui do Katopesla, Vegeta foi destaque por pouco tempo no torneio, salvo o início e na luta contra Frost.

Enquanto as batalhas tomam lugar por todos os lados da arena, eis que o 2º Universo – em uma atitude acertadíssima – resolve juntar o Goku na rataria com seus 5 membros restantes. Dentre eles encontramos Rozie e a, chata para um caralho, Ribrianne.

Quando as duas guerreiras do amor se preparavam para eliminar Goku num golpe conjunto, eis que, com um, também, golpe em dupla, 17 e 18 salvam o dia e se apresentam para o combate em defesa de Goku que mal consegue ficar de pé.

Vale ressaltar que, por alguns momentos nesse episódio, o anime lembrou o que fez Dragon Ball ser fantástico: mostrar um personagem tendo a sua história desenvolvida em belos momentos afetivos. Vimos isso hoje com a relação de irmãos entre 17 e 18 em vários momentos e da relação de casados da 18 com Kuririn.

Ao interferirem na luta, 17 e 18 são obrigados a enfrentar Rozie e Ribrianne, respectivamente. E que luta bem-feita, hein? Um interferindo no combate do outro para bater, defender ou falar merda mesmo. Diversos golpes brutais em conjunto e salvamentos em cima da hora.

Mesmo eles se conhecendo há pouco tempo, Rozie quer eliminar 17 por ele ter eliminado a outra participante das guerreiras do amor, Kakunsa, e 18, após ser criticada por se casar com Kuririn, um humano careca e sem nariz, quer eliminar Ribrianne que se mostra mesmo como a guerreira do amor próprio.

17 consegue eliminar Rozie em uma troca de golpes entre os 4 com muitos “friendly fire” em uma luta com cara de torneio valendo a vida. 18 também elimina Ribrianne ao ser motivada pelo poder do amor por sua filha e por Kuririn. Diga-se de passagem que, ao se tornar uma gigante utilizando apetrechos externos (mais uma vez), achei por alguns instantes que Ribrianne tivesse morrido (e que glorioso isso teria sido).

O episódio finaliza com Goku se levantando e se preparando para lutar com os outros 3 membros restantes do 2º Universo. Pelo preview do próximo episódio parece que o nível deles é bem baixo, o que não deveria ser a essa altura do torneio com apenas 15 minutos restando. Tá faltando aparecer um grande lutador sem ser dos consagrados universos 6, 7 e 11 e, certamente, ele não será do 2º Universo.

Ao compararmos o episódio 117 com a maior parte dos episódios desse arco, Dragon Ball Super mostra o que o torneio poderia ser. Lutas rápidas, em duplas, eliminações, transformações e desenvolvimento de personagens. Torçamos para que continue assim.

Sugestões para você: