Zumbis… quem já não está cansado de ver filmes, séries e jogos com a temática? Como qualquer tema na moda, nossos amigos mortos-vivos já saturam o mercado midiático há algum tempo. Tivemos – tá cada vez mais difícil usar o verbo no presente – excelentes filmes com a temática inspiradas pelo clássico “A Noite dos Mortos-Vivos” (com Assista! no site) do falecido George A. Romero. Apesar da saturação, a indústria cinematográfica não parece se dar conta disso (ou, mais provavelmente, está cagando) e diversos longas e séries chegam a cada dia, seja no cinema ou nas plataformas de streaming como é o caso de Santa Clarita Diet.

No início de Janeiro fiz um Garimpo sobre Zumbis (confira aqui!) e indiquei a 1a temporada de Santa Clarita Diet. Tudo o que era bom e me fez indicá-la continua aqui: episódios curtos, excelentes e conhecidos atores e um tom cômico de violência gráfica. No entanto, isso já não sustenta 100% a série, que tenta expandir seu lore e se levar um pouco mais à sério.

A 2a temporada começa exatamente onde a 1a termina, com Sheila Hammond (Drew Barrymore) se deteriorando física e psicologicamente, Joel Hammond (Timothy Olyphant) em uma ala psiquiátrica e Abby Hammond (Liv Hewson) junto com Eric Bemis (Skyler Gisondo) tentando descobrir uma cura para o tormento de nossa protagonista. O elenco continua afiadíssimo com atuações toscas e cômicas. Os diálogos desconfortáveis e sacadas inteligentíssimas continuam sendo a força motriz da série e a maior importância conferida ao elenco de apoio dá um certo frescor à obra, como, por exemplo, acontece com Ramona (Ramona Young), a atendente do mercadinho que só aparecia para dar conselhos profundamente filosóficos com analogias com comida e produtos de limpeza.

Apesar disso, o desenvolvimento é muito lento para 10 episódios de 28 minutos. Só lá para o 6o episódio que temos acontecimentos significantes impulsionados pela tentativa de expandir a mitologia sérvia (a Sérvia tem histórico com mortos-vivos?!) e as causas de transformação de Sheila. Aqui que a série se perde um pouco ao tentar trazer uma seriedade que não cabe na narrativa galhofa adotada.

A violência brutal e gráfica ainda é muito presente, talvez até mais do que na 1a temporada. Caso você tenha problemas com tripas, desmembramentos, canibalismo e sangue, acho que essa não é a série para você. Aproveitando o ensejo, caso você também não esteja enveredado nas tradições zumbis e nerds, Santa Clarita Diet não será tão engraçado. Muitas referências e piadas surgem de trocadilhos com expressões consagradas em jóias da cultura geek e, até mesmo eu, um nerd raiz, perdi algumas. Contudo, mesmo se você topar essa maratoninha (o que vale muito muito a pena), a obra está recheada de piadas politicamente incorretas com nazistas, deficientes e sexo que são questionadoras e vão te deixar pensando (e rindo) por um tempo.

Veja a 1a e a 2a temporada de Santa Clarita Diet na NETLFIX e venha comentar aqui o que acharam. E, por favor, alguém me responda se na Sérvia mortos-vivos são uma questão.

Sugestões para você: