Convidei um amigo para escrever um roteiro comigo. A tarefa era que ficasse pronto em uma tarde e que a história tratasse sobre uma forma de isolamento. Ryan Campos foi o escolhido para dividir o fardo comigo. Naquela tarde, experimentamos uma série de adversidades, como falta de luz, calor e mudanças de locações para uma simples – o que nunca é – escritura de roteiro. Dois dias depois, eu viajaria para New York para filmar uma parte do roteiro. Eu deveria torcer para os ventos nova iorquinos serem mais convidativos do que o estorvo carioca. Se digitar as teclas nos gerou tantos problemas, filmar numa cidade cosmopolita podia ser a Caixa de Pandora revelada.

O roteiro foi assim concebido, do Rio a New York. Momentos opostos entre as duas locações, assim como os próprios personagens do filme: o absurdo frio nova-iorquino, que chegou a -15ºC naqueles dias, versus o calor incendiário dos trópicos foi um dos elementos que utilizamos para contrastar o estado de espírito dos personagens, em uma história sobre buscas internas de cada um. E foi uma experiência incrível poder sair de “casa” e conseguir boas cenas em uma cidade referência às telas dos cinemas.

A falta de um orçamento significativo – pois eu era o único financiador do projeto – (basicamente todo usado para manter a equipe e para a realização da viagem em si) era apagada pela elegância e a tão cinematográfica ambiência da cidade norte-americana. Encorajados por semelhante experiência do sul-coreano Kim Ki-Duk em seu belíssimo filme Amen, filme este que será alvo de um artigo especial de minha autoria em breve na seção de indicações, fizemos as malas e rumamos para a América, com um filme na cabeça. De lá, voltamos com as cenas necessárias para a finalização da obra.

No ano de seu lançamento, fomos presenteados com a seleção do filme para o Festival de exibição de curtas Made in New York Filmmaker Showcase, em março de 2016, tendo, portanto, sua primeira exibição na cidade onde ele começou a nascer. New York nos proporcionou o nascimento de Departure em todos os momentos, desde a criação até a sua existência em uma tela de cinema.

Teremos, então, a honra de apresentar o curta para vocês em breve. Por enquanto, deixamos aqui o trailer e pedimos que vocês, se estiverem vendo esse post no celular, não o assistam no app do YouTube, mas aqui pelo browser mesmo. Por algum motivo que estamos tentando resolver, o vídeo não toca no app.

Ficha Técnica:
Dirigido por: Rene Michel Vettori
Escrito por: Rene Michel Vettori & Ryan Campos
Produzido por: Leilane Vettori, Rene Michel Vettori & Ryan Campos
Direção de Fotografia: Rene Michel Vettori
Editado por: Rene Michel Vettori
Elenco: Leilane Vettori & Lucas Machado
Duração: 12 minutos
Ano: 2016

Sugestões para você: