– Daenerys Targaryen (Emilia Clarke)

Começando com a aposta mais óbvia. Ela era a underdog, iniciando a série sendo vendida como pedaço de carne por seu irmão Viserys e que lentamente galgou os degraus da ascensão social numa sociedade machista e patriarcal. Mas por que gostaríamos de vê-la no trono de ferro? Considerando a trajetória do herói, ela seria a escolha correta – embora seu sobrinho-amante também cumpra os pré-requisitos – trazendo para a série um final catártico, isso sem mencionar o fato dela ser uma governante carismática, que traria justiça social, que age diante o perigo, tanto de forma contingencial como preventiva, vide a sua postura diante do inverno que o Rei da Noite traz consigo, e que, talvez, faça reformas estruturais na máquina governamental que rege Westeros. Ela é a prova viva que a meritocracia funciona quando se tem 3 dragões… digo, 2 dragões. Mal ou bem, considerando a lógica da Rebelião de Robert, ela não teria tanto direito ao trono quanto ela acredita, já que sua família foi deposta com a união das casas mais importantes do continente eliminando do poder um rei tirânico e maluco. Sendo ela a 3ª filha de Aerys, exilada em Essos e tendo num exército de estrangeiros sua maior força não vejo muita legitimidade em sua posse. E considerando como a série se fez notória, não ficaria surpreso se a sua cabeça fosse a primeira a rolar dentre os citados aqui. Ela sentando no trono seria um final satisfatório e que todo mundo espera? Acredito que sim. Seria o final que melhor representa GOT? CERTAMENTE não.


– Bran Stark (Isaac Hempstead Wright)

Picolé de chuchu, água de salsicha e chato pra caralho são apenas algumas das locuções que podemos usar para tranquilamente descrever o pau no cu que é Bran Stark. Esse pequeno arrombado, que na série hoje deveria ter uns 12 anos mas já está certamente pagando alguma pensão alimentícia por aí, é uma das coisas mais chatas da série e nunca isso ficou tão claro quanto na temporada passada, quando ele, agora como o corvo de três olhos, ficou de sacanagem guardando segredinho da ancestralidade do seu irmão, confirmando somente para Sam (John Bradley), outro pau no cu, aquilo que a internet toda já sabia, mas que faria uma diferença fodida para toda Westeros: Jon é, na verdade, um Targaryen legítimo, filho da irmã de Ned Stark e do irmão da Dany. Bran hoje não lembra mais em nada aquele molequinho fofinho que o atual mocinho Jaime Lannister tentou impiedosamente assassinar para ocultar seu caso incestuoso com a irmã. Sendo ele hoje um ser de magia e sabedor de tudo que é conveniente ao roteiro que ele saiba, se este bostinha sentar no trono enquanto essa máquina sem sentimentos ou vontades acredito que seria o melhor para toda a Westeros. Afinal de contas, sua total falta de carisma o impediria de ser mais um governante demagogo-populista e seu conhecimento de tudo, aliado a sua falta de sentimentos, faria dele um governante ideal.

Sugestões para você: