– O Relatório (The Report), de 2019, dirigido por Scott Z. Burns

Após escrever roteiros excelentes como os de “O Ultimato Bourne”, “O (des)Informante” e mais recentemente “A Lavanderia”, Scott Z. Burns dirige (aém de também assinar o roteiro e a produção) deste O Relatório. Em comum, seus filmes sempre tem um fortíssimo viés político, e com O Relatório não é exceção. Trata-se de um excelente thriller político baseado em uma história real sobre a investigação de Daniel Jones quanto aos maus tratos americanos com prisioneiros depois do 11 de setembro. Se hoje nós sabemos que a CIA torturava inclementemente diversos prisioneiros, a razão disso é quase que exclusivamente esse homem, que sacrificou sua vida pessoal para seguir a obsessão que se tornou expor tudo que fora feito pela CIA.

Concorde você ou não com a tortura – e estamos em um país em que talvez isso seja mais aceito do que seria o razoável -, O Relatório não vem para denunciar a torpeza óbvia dessa prática, mas, sim, para, mais ou vez, mostrar os meandros podres, rotos e putrefatos que compõem a política de qualquer país. Quem tem o poder, afinal de contas, tem como objetivo principal se perpetuar no poder em detrimento de tudo o mais, em especial da verdade. Em um duelo de narrativas amarrado por um roteiro muito bem engendrado, uma direção segura e um elenco absurdo capitaneado pelo sempre ótimo Adam Driver (e com destaque para Annette Bening), O Relatório é, mais uma vez, uma das melhores coisas disponíveis no catálogo da Amazon e talvez seu melhor filme original até aqui.


– One Child Nation, de 2019, dirigido por Nanfu Wang e Jialing Zhang

Aproveitando que estamos em um especial por conta de uma epidemia que iniciou na China e que por lá já ceifou a vida de milhares, apresentamos aqui um documentário sobre um período histórico conturbado, que durou perto de 35 ano e deixou uma marca na sociedade chinesa, criando gerações sem irmãos. Com uma narrativa pessoal, acompanhamos Nanfu Wang investigando suas origens e o peso que ter tido um irmão trouxe para seus pais. Com um início um tanto lento, somos atropelados por desdobramentos dessa política autoritária a nível familiar, com seus tios e avós discutindo a época, a nível regional, com os agentes do governo e suas funções, e a nível nacional, com a influência de uma cultura que privilegia o homem e esquemas entre instituições que deixam um rastro gigantesco de morte.

Com o coletivo imperando sobre o indivíduo, devoção à pátria e sacrifícios pessoais inimagináveis, One Child Nation é um documentário muito pesado visual e emocionalmente, além de necessário.

Sugestões para você: