– Fleabag, de 2016, 2 temporadas (2016 – 2019), criada por Phoebe Waller-Bridge

Com uma primeira temporada bem boa e uma segunda temporada nada menos do que excepcional, Fleabag é uma série sobre nenhum assunto em particular e, por isso mesmo, é sobre tudo, sobre a condição humana, sobre culpa, sobre luto, sobre sofrer, ou seja, sobre absolutamente tudo que nos faz humanos, demasiado humanos. Criada, escrita e protagonizada pelo furacão humano que é Phoebe Waller-Bridge, Fleabag narra a vida cotidiana de uma personagem cujo nome nós nunca ficamos sabendo (o mesmo valendo para o seu pai, a madrinha e um sem número de outros personagens) enquanto ela é esculachada (e esculacha) a maior parte do tempo, sendo fleabag uma gíria para uma pessoa desagradável e/ou suja, algo que cabe perfeitamente na personagem.

A 2a temporada, já com os personagens estabelecidos da primeira, se torna espetacular porque um elenco já absolutamente entrosado recebe ainda a participação mais do que especial do Padre interpretado pelo sempre excelente Andrew Scott, que vem para se juntar a Waller-Bridge e a oscarizada Olivia Collman, entre outros nomes menos conhecidos mas igualmente excelentes no ofício de atuar. Sem sacanagem, trata-se, na minha opinião, da melhor coisa que a Amazon tem em seu catálogo e é moleza de maratonar nesses dias de Corona, com um total de 12 episódios de meia hora em média.


– Vinland Saga, de 2019, dirigido por Shûhei Yabuta

Quando pensamos em animes, nossa imaginação nos leva para alguns lugares. Dentre eles, existem os mundos de fantasia, o espaço, futuros alternativos, e, o mais óbvio de todos, o próprio Japão em diversas épocas diferentes. Quando pensamos em alguma obra histórica dentro dos animes, acabamos por voltar à época dos samurais, final da era Tokugawa e início da Meiji. Mas eis que Vinland Saga nos leva para a invasão nórdica ao Reino Unido durante o século XII. Exatamente isso que você leu.

O estúdio Wit (também responsável por “Attack on Titan”) criou uma ambientação tão envolvente que você esquece que dinamarqueses e ingleses estão falando japonês. São cenas belíssimas contemplando o frio do inverno no norte do planeta, batalhas sangrentas e brutais e um jogo pelo poder que tornam Vinland um deleite para os sentidos.

Confira nosso Top 10 Animes de 2019

Sugestões para você: