Doentes de Amor (The Big Sick), lançado em 19 de outubro de 2017, dirigido por Michael Showalter

“Tomando várias lições das comédias independentes americanas, o elenco coadjuvante é impagável, em especial o núcleo familiar de Kumail. Aproveitando as idiossincrasias paquistanesas que ainda são um tanto esquisitas a nós ocidentais, Doentes de Amor funciona um pouco como a série Master of None (indicada em um Garimpo Netflix passado) nesse quesito. A proposta é lançar um olhar sério e ao mesmo tempo bem humorado sobre as diferenças gritantes entre as culturas, apresentando, ainda, uma crítica muito necessária contra a intolerância e o apego obsessivo às tradições, sendo igualmente duro com a própria cultura “oprimida” e em geral tratada como coitadinha pelo politicamente correto e com o status quovigente já alvo de tantas críticas.”

Por Gustavo David em crítica publicada em 19 de outubro de 2017


Punhos de Sangue (Chuck), lançado em 25 de maio de 2017, dirigido por Philippe Falardeau

“Certamente o que mais se destaca nesse filme, além da atuação de Liev Schreiber, é o elenco de apoio. Naomi Watts (Linda) é a barwoman mais segura que já vi nos cinemas, se impondo a todo tipo de situação e clientes. Ron Perlman (Al Braverman), nosso saudoso Hellboy, é o agente e técnico de Chuck. É o velho (sim, ele está velho) e bom malandro do boxe dos anos 70, época que o boxe não era algo tão glamoroso quanto foi nos meados dos anos 80/90. Todas as suas maracutaias para deixar a luta prosseguindo e as próprias lutas que ele conseguia arranjar mostram sua sapiência nessa época “raiz” do boxe. Apesar de um ritmo lento, o filme cumpre o que promete: fazer um retrato do Rocky de carne e osso.”

Por Ryan Fields em crítica publicada em 26 de maio de 2017

Sugestões para você: