The Young Pope, criada por Paolo Sorrentino, disponível para assinantes FOX Premium

O que Karol Józef Wojtyła, Joseph Aloisius Ratzinger, Jorge Mario Bergoglio e Jude Law tem em comum? Foram os chefes de Estado do Vaticano que vi em vida. Em The Young Pope vemos um Papa jovem (óbvio) e extremamente conservador chegar ao poder e implementar políticas reacionárias, indo na contramão daqueles que o elegeram. A série, além de adentrar pelos meandros políticos de que um Papa precisa dispor, mostra a intriga, a luta pelo poder e temas já esperados, como pedofilia e homossexualidade, além de pormenores tais como escolher cargos secundários e aprovar ou não merchandising oficial do Vaticano. Com a atuação estupenda de Jude Law, Diane Keaton (como a Irmã Mary) e Silvio Orlando (como o Cardial Voiello), The Young Pope é uma série muito mais sobre nós, reles mortais, do que sobre deus.
Por Ryan Fields


Glow, criada por Liz Flahive e Carly Mensch, disponível na Netflix

Ah, os anos 80… Vastas cabeleiras, devaneios e… luta livre. As mentes que nos deram Orange Is the New Black acertaram de novo com Glow, série delicinha que mostra o cotidiano de um grupo de mulheres desajustadas que encontram na Gorgeous Ladies of Wrestling (GLOW) uma chance de retomarem o controle sobre as próprias vidas e redescobrirem-se. Mesclando humor, emoção, visual e trilha sonora arrebatadores, ela entrega ao espectador muito mais do que os trailers prometiam. É uma reflexão sobre os altos e baixos da vida, o poder da amizade, da autoconfiança e mostra que, muitas vezes, empoderamento vem na base da porrada. Literal e metaforicamente.
Por Marco Medeiros

Sugestões para você: