Planet With, 2018 -, 1 Temporada, criado por Satoshi Mizukami, disponível no Crunchyroll.

Animes com robôs e monstros gigantes é praticamente o que consagra a produção audiovisual japonesa. Todo ano recebemos uma dezena de postulantes ao hall dos gigantes do gênero, e embora um “Neon Genesis Evangelion” da vida apareça muito raramente, obras como Knights of Sidonia (indicado em nosso Garimpo NETFLIX) costumam mostrar que ainda há esperança de vermos belas lutas enquanto cidades inteiras são destruídas. Chegando com esse espírito destruidor, Planet With foi uma agradável surpresa estreante no Crunchyroll. Seguindo uma linha batida em seus primeiros episódios, vemos duas facções alienígenas disputando entre si para direcionar o futuro da humanidade, nos brindando com ataques de naves gigantes, mechas saindo na porrada e transformações bem inusitadas. Contudo, em sua metade, a série despiroca brabo, mostrando como causar uma quebra de expectativa de forma competente e subverter os clichês. Das obras nipônicas que ainda não possuem reconhecimento de 2018, certamente essa é uma das melhores.
Por Ryan Fields


Lutas Ancestrais, 2018 – , 1 temporada, criada por Frank Grillo e Padric McKinley, série original Netflix

Não se deixe enganar pelo nome merda e genérico do título em português. Lutas Ancestrais é sobre pessoas que lutam e sobre entender a cultura que as levam a enxergar na luta oportunidades para respeito, reputação, fama e dinheiro. Sobretudo, é um estudo antropológico sobre as culturas que criaram algumas das mais fascinantes modalidades marciais do mundo. Conduzida por um apresentador que tem a medida certa de carisma e reverência por tudo aquilo que está sendo apresentado, a 1ª temporada de Lutas Ancestrais começa com um episódio um tanto mais ou menos no México, mas segue num crescendo até culminar em dois episódios incrivelmente fantásticos sobre as culturas senegalesa e israelense. Não só os amantes de luta, mas aqueles que amam o ser humano enquanto ser social têm em suas mãos um prato cheio e que passou zunindo pela cabeça de todo mundo este ano.
Por Gustavo David
Leia a crítica aqui!

Sugestões para você: