Brightburn – Filho das Trevas (Brightburn), dirigido por David Yarovesky, lançado em 24 de maio

“Fazia tempo que eu não entrava no cinema com expectativa altas e saía satisfeito, talvez até eufórico, querendo conversar com alguém sobre toda essa insubordinação com algo estabelecido. Apresentando um final que subverte cenas clássicas de filmes de heróis, ficamos com as portas abertas para novas entradas nessa franquia que, ao que parece, inaugura um novo universo. Aguardo ansiosamente pelo desenrolar de sua história.”
Por Ryan Fields em crítica publicada em 26 de maio


Graças a Deus (Grâce à Dieu), dirigido por François Ozon, lançado em 20 de junho

“Graças a Deus é uma obra dos nossos tempos. Dói, corta e faz pensar. Revolta, também. Acima de tudo, mostra o quanto o abuso sexual de crianças tece uma teia de sofrimento que enlaça a sociedade inteira: começa no indivíduo, arrasta a família, engendra a comunidade e mancha a Humanidade em seu todo.”
Por Ryan Fields em crítica publicada em 22 de junho

Sugestões para você: