O Filho Protegido (El Hijo), dirigido por Sebastian Schindel, original Netflix disponibilizado em 25 de julho

“Bem medido tanto em seu thriller quanto no drama e naquele toque mais tenebroso do aludido “O Bebê de Rosemary” (sem enveredar pelo lado sobrenatural da coisa), o filme consegue envolver com firmeza seu espectador. O ritmo da narrativa é bem marcado, mastigando-nos a cada cena, como o Saturno de Goya a triturar seu filho. E tal qual um quadro a ser contemplado e interpretado a partir de seus elementos, assim conclui o filme: mais sugestões do que respostas concretas, ficamos com as nossas impressões, deduções e certezas próprias. Não há necessidade para maiores explicações, a natureza humana já nos dá suas verdades.”
Por Rene Michel Vettori em crítica publicada em 26 de julho

O Espião (The Spy), minissérie criada por Gideon Raff, original Netflix disponibilizado em 8 de setembro

“Apesar de ter apenas seis episódios, a série apresenta uma trama densa que, de um lado, conta em detalhes a complexidade do conflito entre Síria e Israel e do outro, leva humanidade a um personagem cujo rótulo de perverso poderia facilmente ter sido dado, afinal o sucesso profissional de Kamel dependia de uma coleção de mentiras. A narrativa explora a forte crise de identidade gerada em Eli, que dentro de uma sociedade absolutamente machista, ora é um bon vivant desejado pelas mulheres e respeitado por todos, e ora vive uma vida humilde, na qual precisa que sua mulher trabalhe a fim de conseguir pagar as contas e é pai de duas garotinhas que mal conhece. Esse conflito interno atrelado à falta de suporte psicológico oferecido ao agente da Mossad, faz com que tal vida dupla desencadeie em sua omissão na função de pai e abandono do casamento.”
Por Luciana Danfer em crítica publicada em 10 de setembro

Sugestões para você: