O Garimpo é um quadro do MetaFictions no qual indicamos toda semana bons títulos disponíveis nas maiores plataformas de streaming. Clique aqui para conferir os anteriores.


“Dostoievski é mais profundo, porque escreve ficção”, dissera certa vez um pensador acerca da comparação entre ficção e aquilo que tem por base a realidade. “Temos Arte para não morrer da verdade”, definira Nietzsche em uma de suas infinitas e célebres frases de efeito. “Arte é a nossa única salvação do horror da existência”, é uma outra sentença impactante que contrabalança a produção artística ao meramente real. Apesar da separação entre um e outro, a Arte é uma obrigatória expressão de seu tempo.

Diversos são os títulos que buscam em episódios ou personalidades daquilo que se entende como realidade para, dentro de uma proposta ficcional, debater assuntos essenciais à natureza humana. O Garimpo Netflix de hoje traz três filmes que mostram os conhecidos dizeres “baseado em fatos reais” em seus créditos, como se fossem mais dignos de atenção por isso. Todas as produções, além disso, estão ligadas pela transformação sofrida por seus personagens a partir da relação direta com pessoas responsáveis por essa mudança.


– A Troca (Changeling), de 2008, dirigido por Clint Eastwood

Assinado pelo bom e velho Clint, A Troca é mais um de seus títulos que centralizam a narrativa em uma mulher que precisa lidar com os dramas pessoais e a resistência do que se apresenta ao seu redor para seguir em uma jornada de buscas pela resposta. No caso específico deste filme, esse caminho a percorrer é ingrato, penoso e, por demais, sofrido. Christine (Angelina Jolie) é uma mãe que mantém uma relação muito próxima a seu filho ainda pequeno. Certo dia, ele é tido como desaparecido e ela pede auxílio da polícia local (sabidamente corrupta) para encontrar seu paradeiro. Tendo, supostamente, solucionado o caso, as autoridades arranjam um encontro público para o reencontro dos familiares. No entanto, a criança encontrada é claramente um impostor.

Sem aceitar a situação imposta por aqueles que querem calar o sentimento de Christine, ela continua em suas buscas à procura do real filho, para isso tendo que enfrentar toda sorte de abusos psicológicos e emocionais perpetrados pelos mais distintos indivíduos que não aceitam os urgentes pedidos da mãe isolada. Um retrato pesado e dramático do fardo das perguntas e a dor da falta de respostas.

Sugestões para você: