Garimpo é um quadro do MetaFictions no qual indicamos toda semana 3 bons títulos disponíveis nas maiores plataformas de streaming. Clique aqui para conferir os anteriores.


Certa vez, o ator Selton Mello disse em entrevista que a percepção que muitos de nós temos no Brasil de que o cinema de nuestros hermanos é muito melhor que o nosso é falseada pelo simples fato de só chegarem até nós suas obras-primas, escondendo péssimas produções feitas por lá. Pode até ser, mas continuo achando que a grama deles é mais verde que a nossa, ao menos quando se trata de Cinema, já que o que chega aqui, com raríssimas exceções, geralmente é bem acima da média, quando não obras geniais.

Com isso, deixamos vocês com mais 3 exemplos do que nossos vizinhos são capazes de apresentar ao mundo. Não deixem também de conferir o primeiro Garimpo Netflix Argentina clicando aqui!


– Minha obra prima (Mi obra maestra), de 2018, dirigido por Gastón Duprat

Esse filme é uma delícia, do início ao fim. Conta a história de amizade entre Renzo Nervi (Luis Brandoni), um outrora bem sucedido pintor de arte contemporânea, e Arturo Silva (Guillermo Francella), um negociante de obras de arte que tenta, a todo custo, recuperar a glória passada do amigo. A relação entre os dois trará sentimentos que flutuam entre genuína empatia, óbvio interesse financeiro, admiração eloquente, profundo ódio e amor incondicional. Um acidente transformará essa relação profundamente e lhes trará oportunidades de negócios um tanto heterodoxas.

Do mesmo diretor do também excelente “O Cidadão Ilustre“, indicado em nosso primeiro Garimpo Argentina, este filme segue à risca uma das tradições de que mais gosto no cinema argentino, a de fazer rir e emocionar com a mesma intensidade e às vezes na mesma cena, além de um cinismo marcante presente em quase todos os personagens. Vale muito sua atenção.

Sugestões para você: