O Garimpo é um quadro do MetaFictions no qual indicamos toda semana 3 bons títulos disponíveis nas maiores plataformas de streaming. Clique aqui para conferir os anteriores.


Logo abaixo vocês vão ver que deixei o link dos 5 Garimpos com indicações de obras de ficção científica pra se assistir na Netflix. Alguns deles talvez não estejam mais disponíveis na plataforma, contudo, mas estou falando isso só porque eu já enchi tanta linguiça sobre a ficção científica nas indicações anteriores que acho melhor poupar vocês dessa minha ladainha dessa vez.

De todo modo, hoje vamos indicar três obras que em comum tem apenas o seu pano de fundo científico, mas que são completamente diferentes dentro do que se propõe. Temos uma grande produção americana com tudo que esse tipo de filme tem direito, uma obra independente de hard sci-fi espanhola e uma obra de ficção científica de ação da Coreia do Sul, um país que jamais decepciona em suas obras. Fiquem com o garimpo dessa semana e não deixem de conferir os links abaixo para mais indicações.

Garimpo Netflix: Sci-Fi
Garimpo Netflix: Sci-Fi 2
Garimpo Netflix: Sci-Fi 3
Garimpo Netflix: Sci-Fi 4
Garimpo Netflix: Sci-Fi 5
Top 10 – Filmes de Ficção Científica
Garimpo Netflix: Fantasia


– Sem Limites (Limitless), de 2011, dirigido por Neil Burger

Em 2011, Bradley Cooper era conhecida quase que exclusivamente como um cara bonitão, vindo na esteira do sucesso dos dois primeiros “Se Beber Não Case” e de “Esquadrão Classe A”. Hollywood, contudo, ainda não sabia se ele tinha o necessário pra se tornar um protagonista de filme grande. Com Sem Limites, Cooper mostrou ser mais do que o se pensava dele e começou de verdade a galgar os degraus que o levaram a estar onde ele está hoje. E aqui ele teve uma ajudinha nada modesta do monstro Robert de Niro.

Em Sem Limites, Cooper é um escritor meio morto de fome que está empacado no livro que está escrevendo, até que ele começa a tomar uma droga (no sentido farmacêutico e não bocadefúmico) que permite que ele acesse 100% de sua mente o tempo e acaba por torná-lo um fodão autodidata, respondendo, à maneira do livro de Alan Glynn no qual o filme é baseado, o tal “E se?”, questionamento tão caro a boa ficção científica em geral. E é nessa tentativa de responder que jaz toda a graça do filme, que eventualmente veio a gerar também uma série de mesmo nome, que também tem sua primeira temporada disponível na Netflix.

Sugestões para você: