Elisa e Marcela, de 2019, dirigido por Isabel Coixet

Em 1901, na Espanha, duas mulheres, Elisa Sánchez Loriga (Natalia de Molina) e Marcela Gracia Ibeas (Greta Fernández), se casaram. Era ilegal completamente. E elas só conseguiram essa façanha porque Elisa se disfarçou de homem no casório, dando uma bela banda na Igreja Católica e na sociedade.

Com uma belíssima fotografia em preto e branco, que dará um ar de sobriedade ao longa, e com uma direção sensível de Isabel Coixet, este filme é dividido aproximadamente em três atos: o primeiro narra como Elisa e Marcela se conheceram e se apaixonaram como alunas. O segundo ato nos contará como eles encontraram uma maneira de viver juntas como um casal, o que as leva ao ato citado do casamento ilegal. O restante nos mostrará a consolidação de suas vidas a dois.

Elisa e Marcela é daqueles filmes necessários, por mostrarem a longa e, aparentemente, eterna luta de casais homossexuais por reconhecimento social e legal. Vale sua atenção!

Sugestões para você: