Quem Tem Carma Nunca Alcança (Brij Mohan Amar Rahe!), de 2018, dirigido por Nikhil Bhat

O cinema indiano é uma fábrica que sobrevive do próprio mercado, sem nunca nem ter tido lá tanta vontade de conquistar os mercados estrangeiros. Isso mudou um pouco com a Netflix, que já tem um vasto catálogo de obras indianas e rotineiramente adiciona mais coisas. Esse Quem Tem Carma Nunca Alcança foi um dos primeiros que a plataforma disponibilizou e, em minha humilde opinião, um dos melhores, em que pese ser um exemplar do cinema indiano que foge bastante dos elementos tidos como comuns na produção de lá. Aqui, por exemplo, ninguém dança ou ouve musiquinhas divertidinhas.

No longa, o Brij Mohan do título original (que, em tradução livre, quer dizer “Brij Mohan É Imortal” ou algo assim) é um cara que tá aí na correria, tentando pagar as contas enquanto faz malabarismos para lidar com sua esposa insuportável, sua amante exigente e o monte de dívidas que eles vai amealhando ao longo de sua existência, tudo numa interpretação cheia de nuances de Nawazuddin Siddiqui. O longa começa como uma comédia de humor negro e, sinceramente, seu início não é lá dos mais promissores. Mas então uma determinada merda acontece com Brij Mohan e aí temos em nossas mãos uma das coisas mais originais, corajosas e despudoradas que já vieram da Índia, transformando um filme que até então era ok em uma obra com um comentário social fortíssimo e pertinente tanto para a realidade indiana quanto para a nossa. Eu tenho orgulho em ter criado esse quadro do Garimpo quando consigo indicar esse tipo de filme a vocês.

Sugestões para você: