Olhos que Condenam (When They See Us), de 2019, dirigido por Ava DuVernay

A carreira internacional da excelente diretora Ava DuVernay decolou com o excelente “Selma” (indicado no Garimpo Netflix: Vencedores do Oscar), se consolidou com o obrigatório documentário “A 13ª Emenda” (indicado no Garimpo Netflix: Documentários) e chega ao esplendor com este Olhos que Condenam.

Numa noite de primavera em 1989, um grupo de cerca de 30 adolescentes estava no Central Park, Nova Iorque, numa espécie de rolezinho oitentista. Alguns deles causando sérios problemas e pequenos furtos. Na mesma noite, uma mulher branca de 28 anos, Trisha Meili, estava correndo no parque, sendo encontrada horas depois espancada e estuprada. Quatro jovens negros e um hispânico seriam considerados culpados e presos pelo crime, em um processo cheio de falhas e buracos evidentes, sendo comprovado anos depois que eles nunca cometeram o crime.

Olhos Que Condenam nos traz vários elementos para a discussão de raça em um país fundado sobre os lombos de corpos escravizados, e não posso fazer nada além de urgir o leitor a enxergá-los. Mas antecipo que, ao assistir a série, você entenderá muito melhor o papel de um certo líder atual de cor alaranjada nos protestos de junho de 2020.

Leia a crítica completa aqui.

Sugestões para você: