Aquarius, de 2016, dirigido por Kleber Mendonça Filho

Alguns anos antes de co-dirigir sua obra maior com Juliano Dornelles (aliás, você já assistiu Bacurau?!), Kléber Mendonça Filho nos trouxe essa bela obra. Nela, Clara (Sonia Braga), uma viúva de idade avançada e crítica de música aposentada, é a última moradora do edifício que dá nome ao filme, um dos poucos prédios tradicionais que permanece à beira-mar em Recife. Agora que os outros apartamentos foram vendidos a uma empreiteira com planos modernosos de reforma, Clara passa a ser pressionada por todos os lados para deixar seu apartamento, testemunha silenciosa de toda a sua vida. Mas ela prometeu a si mesma sair dali apenas após a morte e entrará em uma verdadeira guerra fria com os empreendedores para manter seu imóvel e, com ele, sua história e memória.

O confronto resultante é misterioso, assustador e estressante, atingindo um ápice inesperado. Aquarius é peça-chave e bela na já consolidada filmografia de Kléber Mendonça e, como todos seus outros filmes, fala sobre resistência. Ainda que a batalha seja inglória e antecipadamente perdida. Vale muito sua atenção.

Sugestões para você: