O Garimpo é um quadro do MetaFictions no qual indicamos toda semana 3 bons títulos disponíveis nas maiores plataformas de streaming. Clique aqui para conferir os anteriores.


Nos últimos meses, tenho entrado numa de assistir novamente grandes clássicos do Cinema. E, para a minha surpresa, a Netflix tem um acervo bem decente. Portanto, hoje resolvi fazer um negócio diferente. Ao invés de mostrar a vocês 3 obras relativamente recentes e pouco conhecidas, a ideia é apresentar 3 clássicos absoluto do Cinema, de 3 países diferentes, de 3 gêneros diferentes, de 3 décadas diferentes e todos lançados antes mesmo de eu nascer (e olha que isso já tem tempo pra cacete). Não duvido que você, cinéfilo boladão, já tenha ao menos ouvido falar destes filmes, mas acredito que muita gente das gerações mais novas não tenha tido a oportunidade e é pra isso que a gente serve.


– Era uma Vez no Oeste (C’era una volta il West) , de 1968, dirigido por Sergio Leone

A década de 60 ficou marcada pela grande popularidade do gênero Western, por aqui também conhecido como Faroeste e Bangue-Bangue. Muitos eram os grandes cineastas americanos que fizeram clássico atrás de clássico, gente como John Ford e Sam Peckinpah. A Itália, por uma série de razões a respeito da qual já escreveram livros e mais livros, começou a investir pesadamente no que se convencionou chamar Western Spaghetti, em geral fitas baratas e produzidas aos montes, muitas vezes usando atores e equipe americana. Foi assim que apareceu aquele que é, pra mim, o maior diretor do gênero que há: Sergio Leone. E nenhuma de suas obras, ao meu ver, é tão espetacular e virtuosa quanto este Era uma Vez no Oeste.

A trama é de certa forma simples. Três pistoleiros, interpretados com um elã inacreditável pelos lendários Jason Robards, Henry Fonda e Charles Bronson, juntam forças para proteger a lindíssima viúva, vivida por Claudia Cardinale, acossada por um grande barão da ferrovia e por seus jagunços. O que se segue são 2 horas e 45 minutos de cenas de ação que surpreendentemente satisfazem até hoje, atuações sensacionais e a trilha sonora nada menos do que antológica de Enio Morricone, tudo para ilustrar este conto sobre três homens que sabem que, no oeste, suas vidas de nada valem.

Quero deixar uma coisa bem clara aqui. Era uma Vez no Oeste é o melhor faroeste de todos os tempos e ele está disponível na Netflix. Vá assistir!

Sugestões para você: