O Garimpo é um quadro do MetaFictions no qual indicamos toda semana 3 bons títulos disponíveis nas maiores plataformas de streaming. Clique aqui para conferir os anteriores.


Primeiro de abril, dia da mentira. Em meio ao caos político e sanitário no qual se encontra o Brasil, as notícias que chegam parecem corroborar o dia de hoje. Mais do que nunca, o brasileiro busca alívio dessa realidade distópica no entretenimento audiovisual. BBB, novelas, séries e filmes passaram a ser essenciais para manter a sanidade e a esperança que um dia possamos voltar ao normal (que já não é lá muito bom). Dito isso, nosso Garimpo Netflix da semana tenta dar uma moral na tarefa de ocupar seu tempo sem pensar no mundo colapsando a sua volta.

Apresentaremos hoje 3 longas bem distintos, mas igualmente poderosos em transmitir emoções que vinculam as pessoas umas às outras. Sem mais delongas, vamos nessa.


– Menashe, de 2017, dirigido por Joshua Z Weinstein

Sendo a cara das produções originais da Netflix de melhor entrada com a crítica, Menashe é um filme de baixo orçamento, com atores desconhecidos e com uma história emotiva excepcionalmente bem contada. Acompanhamos Menashe Lustig interpretando ele mesmo, um viúvo que tenta manter um vínculo com seu filho que está sendo criado por seu cunhado. Sendo uma vitrine de uma comunidade judaica ultra-ortodoxa, NY é palco de relações direcionadas pelo judaísmo e suas tradições, mostrando nosso protagonista numa bela história de paternidade, amizade e religiosidade.

Sendo um longa do renomado estúdio A24 – que está no Oscar com um dos grandes favoritos, “Minari” -, Menashe é uma agradável surpresa no catálogo da Netflix.

Sugestões para você: