O Garimpo é um quadro do MetaFictions no qual indicamos toda semana 3 bons títulos disponíveis nas maiores plataformas de streaming. Clique aqui para conferir os anteriores.


Hoje vivemos numa época em que as mães são tiranizadas por outras mães nas redes sociais, numa bola de neve de julgamento insidiosa que vem se tornando a tendência principal da internet, fazendo basicamente com que aquelas de cabeça um pouco mais fraca ou que estejam passando por um dos inúmeros momentos de fragilidade que uma recém-maternidade causa na mente de uma mulher se sintam realmente péssimos seres humanos porque dão chupeta, ou porque não dão chupeta, ou porque não fizeram parto com doula, ou porque fizeram, etc.

Alheios a isso estão os pais que, sendo esta talvez a única instância da condição humana enquanto ser social na qual o macho não é o protagonista, ficam em uma espécie de segundo plano, amando ferozmente a sua cria, protegendo-a com absolutamente tudo que tem e sacrificando tudo e todos pelo bem daquela pessoinha criada à sua imagem.

Assim, é em homenagem a esta data exclusivamente comercial, mas que todos nós abraçamos com vigor, do dia dos pais e especialmente em honra àqueles homens que tanto se doam, muitas vezes sem o devido reconhecimento, a esta relação inquebrantável de amor e, principalmente, devoção aos seus filhos que lançamos este Garimpo Netflix especial para o dia dos pais com 3 filmes que lidam com a paternidade. Aproveitem!


À Procura (The Captive), de 2014, dirigido por Atom Egoyan

Em apenas um dia normal e frio pela região das Cataratas do Niágara na fronteira do Canadá com os Estados Unidos, Matthew (em uma performance surpreendente de Ryan Reynolds) para com sua filha Cassandra para comprar uma torta. Misteriosamente, ao voltar ao carro Cassandra não mais está lá, vazio este que preenche a alma de Matthew e sua esposa por 8 anos sem que a polícia encontre qualquer vestígio. Mesmo vivendo com aquela lacuna na alma e com um casamento massacrado pela dor da incerteza do desparecimento, tudo muda quando indícios começam a aparecer de que Cassandra talvez ainda esteja viva, levando Matthew a arriscar tudo para descobrir isso.

Dirigido pelo premiadíssimo Atom Egoyan, com uma belíssima fotografia das gélidas paisagens do inverno canadense a cargo de Paul Sarossy e contando com atuações verdadeiramente boas não só de Reynolds, mas de todo o elenco – com destaque para o sempre perturbador Kevin Durand -, À Procura é um filme que não teve o destaque merecido quando lançado aqui e aparece mal avaliado no IMDB, talvez por ter um enredo parecido com o estupendo e realmente melhor “Os Suspeitos” de Dennis Villeneuve lançado pouco tempo depois. De todo modo, trata-se de um excelente filme que mostra até onde o amor de um pai vai em defesa de sua cria.

Sugestões para você: