O Garimpo é um quadro do MetaFictions no qual indicamos toda semana 3 bons títulos disponíveis nas maiores plataformas de streaming. Clique aqui para conferir os anteriores.


Corona, Covid-19, idiotia, seja lá qual for a epidemia pela qual estamos passando no momento, o fato é que nós do MetaFictions somos nerds raiz. À exceção de Marco Medeiros que é muleke piranha, gostamos de ficar em casa vendo filme, série, jogando videogame a desenvolvendo as artes ocultas do onanismo. Dito isso, entendemos ser nosso dever em nossa condição de cinéfilos-onanistas (ou onanistas-cinéfilos, como você preferir), trazer a todo o nosso vastíssimo público um Garimpo Especial com vários títulos na Netflix para que você, caro leitor, possa se aproveitar da nossa falta de vida social e passar pelo menos algumas horinhas dessa quarentena tendo o que fazer.

Pra isso, reunimos aqui nada menos do que 12 obras na Netflix, dos mais variados tipos e gêneros, pra que vocês tenham aí muitas e muitas horas de entretenimento do conforto do seu lar. Não deixem também de conferir o nosso Garimpo Amazon Prime Video: Especial Corona e também o nosso gigantesco acervo de indicações no Garimpo Netflix. Tudo pra ajudar a você a não sair de casa sem necessidade, a não ser que acabe seu papel higiênico. Aí eu te desejo boa sorte, guerreiro.


– Sem Dor, Sem Ganho (No Pain, No Gain), de 2013, dirigido por Michael Bay

Conhecido mais por seus filmes cheios de explosões e câmeras que giram, Michael Bay tirou uma folga dos tiros para se concentrar na realização deste muito bom Sem Dor, Sem Ganho, o título em português de uma obra tão despudorada que seu título original é um slogan da Nike. Contando aqui com um elenco de luxo, Bay conta a história de Daniel Lugo (Mark Wahlberg), um bombado de academia que se julga um injustiçado, um incompreendido e, porque não, um homem de bem que é diariamente oprimido pelo sistema. Entendendo que muita coisa lhe era devida, Lugo decide recrutar a ajuda de outros dois bombados interpretados por Anthony Mackie e por um The Rock gigantesco para sequestrar e roubar os bens de um ricaço bem escroto de Miami.

Trata-se de uma comédia de erros misturada com thriller em que 3 homens absolutamente medíocres tentam fazer algo extraordinário e, como não poderia deixar de ser, se fodem retumbantemente nesse processo. O mais curioso de tudo é que isso se trata de uma história real e o grau de fidelidade do filme ao que aconteceu é bem alto, tanto que Bay faz questão de estampar isso na tela a cada coisa inacreditável que acontece.


– Nocturama (Nocturama), de 2016, dirigido por Bertrand Bonello

Ajudar no seu confinamento não é te promover dias de perfeição. A perfeição poderia trazer o tédio e isso geraria conflito. Indicar filmes maravilhosos promoveria isso. Portanto, é importante que haja títulos controversos. Daqueles que fazem você querer discutir, seja porque gostou muito, seja porque achou uma verdadeira bosta. Para vários conhecedores do Cinema, Nocturama foi um filme que esteve na lista dos melhores do ano de seu lançamento. Para outros, o filme é uma bosta. Mas o que ele não é, definitivamente, é esquecível. Pelo contrário, até hoje me lembro e penso nele. Por vezes, sinto ganas de indicá-lo em um garimpo, mas logo desisto. E o motivo é o já dito: uma obra controversa, que merece ser vista para ser debatida. Seja por algo de bom que ela te traga, seja pelo que de raiva ela te proporciona.

Um grupo de pessoas, na França conflituosa de hoje, resolve se revoltar contra a sociedade na qual vivem e promove um ato terrorista. O filme acompanha os momentos pré-terrorismo desses personagens, de modo bem francês (o que não significa, para mim, um elogio, de modo algum), descritivo e introspectivo. Vale à pena conferir. Em especial, nesse momento que você precisa de algo além das mesmas notícias diárias para pensar a respeito.

Sugestões para você: