– Ray, de 2004, dirigido por Taylor Hackford

Aqui temos uma daquelas famosas interpretações mediúnicas que Hollywood tanto gosta de glorificar, vide o Oscar que Jamie Foxx ganhou pelo papel. Ray acerta ao contar a história desse mago do R&B estado-unidense desde sua sofrida infância marcada pela tragédia da cegueira, até sua luta contra as drogas e relacionamentos torpes na juventude. Uma trajetória pessoal que de fato transformará a música negra para sempre.

A performance de Foxx é nada menos que incrível, e o filme do diretor Hackford faz bastante justiça à lenda musical e o legado do seminal Ray Charles. Vale muito a pena ser visto.


Peixe Grande e Suas Histórias Maravilhosas (Big Fish), de 2003, dirigido por Tim Burton

“Um homem conta suas histórias tantas vezes que ele se torna essas histórias. Elas vivem depois dele, e dessa forma ele se torna imortal.”

Baseado no livro de Daniel Wallace, Peixe Grande e Suas Histórias Marvilhosas acompanha a vida de Edward Bloom (Ewan McGregor), um jovem extraordinário que se torna um velho extraordinário (Albert Finney), que se deleita em contar histórias extraordinárias de sua vida. Seu filho Will (Billy Crudup) é o único que parece imune ao seu charme, mas à medida que seu pai vai chegando ao fim de seus dias, ele fica obcecado em descobrir a verdade por trás de toda essa fantasia.

Uma das melhores obras de Tim Burton, que vem vacilando enormemente nos últimos anos, mas que sem sombra de dúvidas nos deixa um legado de obras extremante autorais e excelentes.

Confira nosso Assista! sobre o filme.

Sugestões para você: