Atlanta, de 2016-, criado por Donald Glover

Donald Glover – além de criar, produzir, escrever, dirigir alguns episódios, estrelar e ser o responsável pela música da série (não só a original como também o que é minuciosamente escolhido para tocar durante as cenas) – é também Childish Gambino, cantor e rapper multipremiado (sua performance antológica de “Redbone abaixo está entre os vídeos mais assistidos na história do YouTube do talk show do Jimmy Fallon), e será Lando Calrissian no filme de Han Solo que já está sendo produzido. Trata-se, portanto, do que dá para se chamar de um artista completo, indo excepcionalmente bem em várias áreas e surfando hoje na crista da onda.

Atlanta, vencedora do Globo de Ouro de melhor série de comédia do ano passado, é a principal prova disso. Trata-se de uma criação totalmente da cabeça de Glover (que não tem parentesco algum com Danny Glover, para minha surpresa), que retrata aquela que é possivelmente a mais prolífica e fervilhante cena do hip-hop nos EUA hoje em dia. A série conta a história de Earn Marks (Glover, papel pelo qual ganhou o Emmy e o Globo de Ouro), um cara que largou Princeton, uma das universidades da chamada “Ivy League“, por um motivo desconhecido e, ao descobrir que seu primo Alfred assumiu o nome Paperboi (Brian Tyree Henry) e se lançou como rapper na cena underground da cidade, ele se propõe a ser seu empresário.

Eu realmente não tenho adjetivos a descrever Atlanta. É a coisa mais refrescante, original e divertida que a televisão produziu em termos de comédia nos últimos anos. Ao mesmo tempo em que toca em questões sensíveis como a segregação do negro enquanto um grupo nos EUA (e, por extensão, no mundo) e do papel da mulher negra na sociedade (em um episódio em que os atores masculinos mal aparecem), ela não está acima de fazer um episódio com comerciais de mentirinha que fazem graça com os estereótipos da comunidade negra americana, por exemplo. O roteiro, assinado por Donald e por seu irmão Stephen, é um primor e a direção, na maioria dos episódios a cargo do diretor japonês Hiro Murai (conhecido diretor de videoclipes), presta homenagens óbvias e excelentes a David Lynch.

Finalizo aqui confessando que esse Garimpo especial sobre Hip-Hop só existe por causa do entusiasmo atiçado por essa série e pela mente genial de Donald Glover. Trata-se de um nerd, uma pessoa com um compromisso quase que obsessivo com a sua arte, um conhecimento enciclopédico do Hip-Hop e uma gana de se aprofundar o máximo no assunto, ao mesmo tempo em que pincela as dificuldades da vida adulta de um jovem negro na cidade de Atlanta. Assistam e, por favor, vamos conversar a respeito!

Sugestões para você: