Semana passada eu li uma notícia que dava conta de que a Netflix pretendia gastar espantosos 8 bilhões de DÓLARES só em 2018 para a produção de conteúdo próprio. São 80 filmes e 30 séries animadas previstas para estrear ano que vem. Ainda que muitas delas contem com a máquina de divulgação da própria Netflix e das redes sociais, a verdade é que boa parte passa por sob o radar de todos nós. Quem aqui já ouviu falar de uma série excelente chamada Derek? Ou de um filme antológico como Beasts of No Nation? Ou até mesmo do documentário indicados ao Oscar Winter On Fire? E estas são das obras mais conhecidas. Imaginem só o que não fica enterrado debaixo de cocôs fumegantes e outros títulos menos malcheirosos?

Com isso em mente, apresento hoje para vocês três filmes diferentes entre si, todos originais Netflix e todos autorais até a medula, como soe acontecer com as produções originais não só da Netflix, mas de todos os demais players do mercado de streaming.


Shimmer Lake, de 2017, dirigido por Oren Uziel

Seguindo a prática de apostar em produções pequenas, de orçamentos tímidos e dirigidas por nomes ainda iniciantes na indústria, a Netflix traz este thriller/comédia policial sobre um assalto a um banco em uma cidade pequena no interior dos EUA, sua repercussões e o que teria lhe dado origem. A história, contudo, é contada de trás pra frente, o que acaba por nos trazer uma série de reviravoltas realmente inesperadas e hilárias.

Estrelado por nomes relativamente conhecidos como Rainn Wilson e John Michael Higgins, além de Ron Livingston e Rob Corddry como dois agentes do FBI que não poderiam estar se fodendo mais para o resultado da investigação, Shimmer Lake é uma pequena joia escondida no emaranhado de lançamentos mais badalados da Netflix e muito disso se dá por causa do excelente roteiro do também diretor Oren Uziel. Vale a menos de hora e meia de duração.

Sugestões para você: