O Garimpo é um quadro do MetaFictions no qual indicamos toda semana 3 bons títulos disponíveis nas maiores plataformas de streaming. Clique aqui para conferir os anteriores.


Mesmo que ele já fosse famosinho antes do sucesso estrondoso de “Deadpool“e “Deadpool 2“, Ryan Reynolds ainda não havia alcançado os níveis de fama que hoje o elevam a status de estrela de primeira grandeza em Hollywood. Por causa disso, ele saía por aí fazendo basicamente qualquer porcaria que o permitisse vomitar o máximo de bobagens por minuto possível, já fazendo uma preparação para o momento em que viria a interpretar Wade Wilson, o nosso querido Deadpool. Não precisava de tanto, contudo, já que Reynolds essencialmente já parece ser desde sempre tudo aquilo que Deadpool era nos quadrinhos.

Seu primeiro filme de algum sucesso foi a comédia besteirol subestimadíssima “O Dono da Festa”, na qual ele vivia Van Wilder, uma espécie de Patropi americano que estava há décadas na faculdade e de lá não queria sair. Foi um papel tão marcante que Van Wilder, o nome do protagonista e título original, é seu apelido no Twitter até hoje. A Netflix, sem dúvida com um tesão inacreditável no rapaz desde essa época, tem nada menos que 11 títulos dele em seu catálogo. Em que pese coisas muito boas e já indicadas aqui anteriormente como “As Vozes” (indicado no Garimpo: A Morte É Apenas o Início) e “À Procura” (indicado no Garimpo: Em Nome dos Pais), temos também muita merda como “R.I.P.D.”.

É para ajudar os amiguinhos e amiguinhas que, como eu, são fãs deste moço cujo passatempo mais querido é falar mal de si mesmo que hoje apresentamos 4 obras estreladas por Ryan Reynolds de seu tempo das vacas magras, todas elas merecedoras de sua atenção e disponíveis na Netflix.


Protegendo o Inimigo (Safe House), de 2012, dirigido por Daniel Espinosa

Ano passado, já alçado ao estrelato absoluto pelo primeiro Deadpool, Reynolds estrelou um filme chamado “Dupla Explosiva” no qual ele, a contragosto, precisava cuidar de Samuel L. Jackson, um assassino de aluguel que era caçado impiedosamente por todos os lados. Curiosamente, 5 anos antes, Reynolds fizera basicamente o mesmo filme, só que o ator negão muthafucka da vez era Denzel Washington. Em Protegendo o Inimigo, Reynolds interpreta Matt Weston, um agente pé de chinelo da CIA que fica lotado na Cidade do Cabo em uma daquelas muitas safe houses que a gente vê direto em tudo quanto é filme e sempre nos perguntamos de onde caralhos que elas saem. Eventualmente, o ex-agente traidor da CIA Tobin Frost (Denzel Washington) é levado para ser interrogado por lá e, depois de dar muita, mas muita merda mesmo, o agente cabaço interpretado por Reynolds é a única arma da CIA para conter e proteger Frost.

Trata-se de um filme de ação e espionagem típico. Muita porrada, muito tiro e muitas cenas de violência estilizada interpretadas com a verve de sempre por Denzel Washington e por um Ryan Reynolds surpreendentemente contido. Para os fãs de ação, vale muito a pena.

Sugestões para você: