– Os Parecidos (Los Parecidos), de 2015, dirigido por Isaac Ezban

Eu queria antes de mais nada pedir a todos paciência e possivelmente perdão por indicar este filme. Trata-se de um filme mexicano, de baixíssimo orçamento, propositalmente filmado como que em baixa resolução, com atuações toscas, cenários que parecem realmente terem sido surrupiados do Chaves e alguns diálogos inacreditáveis. Agora respira fundo e confia em mim. Mesmo com todas essas limitações, praticamente todas causadas pela falta de verbas, temos aqui um filme de um roteiro que eu não consigo classificar como qualquer outra coisa que não genial, apesar de que certamente vá entender quem o classificar como uma besteira sem sentido. Assim como fizera em seu filme anterior, indicado aqui no último Garimpo Sci Fi, Ezban mais uma vez apresenta uma obra que vem para foder com a nossa cabeça.

Mesmo com todos os seus defeitos, Os Parecidos é prova viva de que para fazer cinema não se precisa de mais nada além de raça e criatividade. E, puta que o pariu, Ezban tem ambos de sobra. Nesta obra completamente despirocada, uma meia dúzia de estranhos se encontra em uma espécie de rodoviária mexicana deserta no ano de 1968 enquanto um dilúvio castiga todo o país. Eu simplesmente não posso falar mais nada, além de que o título Os Parecidos vai fazer total sentido e sua cabeça provavelmente vai ficar dando voltas e mais voltas tentando entender como que você achou foda uma coisa assim tão aparentemente merda.

Sugestões para você: