Deixe-me Entrar (Let Me In), de 2010, dirigido por Matt Reeves

Refilmagem do excelente filme sueco Deixa Ela Entrar, Deixe-me Entrar mantém o mesmo nível e segue, na essência, a mesma história de amizade, amor e, principalmente, da solidão. Owen (Kodi Smit-McPhee) é um moleque esquisitão de seus 12 anos de idade em uma cidade fria no interior do Novo México. Ele é vítima de um bully bem persistente e passa seus dias sozinho enquanto seus pais passam por um divórcio aparentemente complicado. Abby (Chloë Grace Moretz, antes de se tornar o fetiche das internetes) se muda para o apartamento ao lado de Owen com seu pai (Richard Jenkins, sempre excelente) e os dois começam uma amizade baseada na total fragilidade do menino e na solidão de Abby.

Cadê o vampiro? Essa resposta fica aparente ainda no primeiro terço do filme e, para os sedentos, sangue não falta. Contudo, não é isso que importa. O que importa mesmo é a relação entre Owen e Abby e o quanto somos mais fortes e melhores quando apoiados uns nos outros.

Deixe-me Entrar, escrito e dirigido por Matt Reeves – o homem responsável pelos dois últimos filmes do Planeta dos Macacos e pelo roteiro e direção do próximo filme do Batman – é um tocante filme no qual por acaso pessoas morrem horrivelmente.

Sugestões para você: