– Os Alquimistas

 Erich Pommer

O homem mais poderoso do meio cinematográfico alemão entre as décadas de 20 e 30, Pommer foi a força de coesão de um movimento profundamente lapidado em indivíduos. Produtor de obras de Lang, Murnau e responsável até pela alteração do final de O Gabinete do Doutor Caligari, Erich foi o Nick Fury do expressionismo alemão. Começou como representante da produtora francesa Éclair, até finalmente, graças ao capital dela, fundar a DECLA. A partir de sua produtora comandou obras marcantes como O Gabinete do Doutor Caligari, Doutor Mabuse, O Jogador de Fritz Lang e Castelo Vogeloed de Murnau.

A DECLA só ficava atrás da UFA, com quem se fundiu e possibilitou o auge do cinema germânico com obras como Fausto, A Última Gargalhada e Metrópolis que explodiram o departamento financeiro da empresa. Pommer era amplamente conhecido por ceder orçamentos em favor da visão criativa, desagradando profundamente a diretoria da UFA. A ruptura ficava cada vez mais forte, e acabou por fazer com que o produtor mais talentoso da época fosse a Hollywood pela primeira vez, onde trabalhou para a Paramount.

Com a mudança de direção na UFA, diversos emissários foram convocar Pommer para retornar a Alemanha. Ele trouxe na mala novidades como cronogramas de filmagens, filmagem com carros e o pioneirismo do som direto sendo fundamental para a transição do cinema mudo alemão para o cinema com som. A UFA lhe disponibilizou sua própria sucursal dentro da empresa, a “Erich-Pommer-Produktion der Ufa”.

Apesar do sucesso de suas produções ser latente e sua importância indiscutível, após a ascensão do Partido Nacional Socialista, a UFA foi obrigada a rescindir o contrato de Pommer, que partiu imediatamente para o exílio.

Produziu com a FOX e RKO Radio Pictures. Porém, Erich sofreu sérios problemas de saúde, que o impossibilitaram de trabalhar e fizeram sua família sofrer de graves problemas financeiros nos EUA. Pommer e sua mulher se tornaram cidadãos americanos em 1944.

Em 1946, Erich Pommer, retorna à sua Alemanha com a responsabilidade de reerguer o cinema alemão. Amparado pelo governo norte americano, em 1948 produziu 28 películas no lado ocidental. Com a certeza que seu trabalho estava completo, Pommer abandonou o projeto em 1949. Vagando quase sem rumo, o alemão passou a oscilar entre os EUA e a Alemanha Ocidental, sempre fomentando novas ideias e novos projetos. Morreu em Los Angeles em 1966. Será sempre lembrado como construtor do expressionismo alemão e salvador do cinema da pátria do Reno, reconstruindo-o das cinzas.

Sugestões para você: