A franquia Alien é referência em termos de space horror no cinema, com uma longa lista de filmes. No mundo dos games temos muitas franquias disputando esse posto, como os clássicos “Resident Evil” e “Silent Hill”, passando pelos recentes “Outlast” e “The Evil Within”. No entanto, em termos de comparação com o Alien, acredito que a franquia Dead Space ocupe esse lugar.

Afirmo isso por uma série de características. A mais evidente, especialmente para quem se considera um gamer, é o impacto de cada um dos 3 primeiros jogos/filmes tiveram em suas respectivas mídias. Em Alien 1 e Dead Space 1 temos a introdução desses seres que apresentam algo em comum. Eles precisam de um hospedeiro para se desenvolver. São extremamente violentos, anárquicos e possuem uma grande variedade de formas dependendo das características de seu hospedeiro.  Ambas as franquias se valem de cenários iguais, uma nave espacial cargueira, escura e claustrofóbica. Já no 3º filme/game temos o início da queda, com capítulos que fogem da proposta que os consagraram.

“Aliens: O Resgate” e Dead Space 2 são o pico desses franquias. Muito já falei dos filmes do Alien (confira aqui em baixo), então vamos mergulhar na insanidade que é esse glorioso game.

Alien: O 8º Passageiro
Aliens: O Resgate
Alien: Covenant
Especial Alien
Top 10 – Filmes de Aliens

Em Dead Space 2 voltamos a controlar o engenheiro Isaac Clarke. Assim como Ripley foi resgatada do pod de segurança da Nostromo, Clarke é resgatado da nave de fuga da Ishimura, que é o tal cargueiro no qual o primeiro jogo se passa. Ele é mantido em uma estação de pesquisa/médica psiquiátrica. Nosso protagonista não foi o único sobrevivente e os profissionais que cuidam de sua saúde possuem segundas intenções. Isso te faz lembrar de algo em Aliens?

Ishimura ou Nostromo?

Isaac foi à Ishimura como voluntário na equipe de reparo, pois a nave parou de se comunicar. Claro que nosso engenheiro não foi por ser um bom samaritano. Ele estava preocupado com a sua namorada que estava a bordo. Após as reviravoltas que acontecem no 1º jogo, ele sobrevive, extremamente perturbado, ao contato com os seres que lá estavam.

A Ishimura encontrou algo no planeta que explorava para mineração. Um objeto que levou a tripulação à loucura, criou monstros e que imprimiu na mente de Isaac, associado à culpa de não ter conseguido salvar sua namorada, um tipo de esquizofrenia paranoica. Marker é o nome dado ao objeto.

MAKE US WHOLE!

Após o Marker corromper a mente dos pesquisadores na estação, começa a história do nosso Dead Space 2, uma montanha russa de emoções. Temos Isaac tentando fugir e destruir o Marker, militares e pesquisadores tentando conter os necromorphs (como são chamados os monstros criados pelo Marker), funcionários sem interesse no objeto tentando sobreviver e os membros da Igreja da Unitologia querendo colocar as mãos no Marker e espalhá-los pelo universo fazendo cópias.

MAKE US WHOLE!

Só para constar, os unitologistas consideram que a raça humana foi criada com um propósito por uma raça alienígena e que ela será reunificada com eles após a morte, no céu, através do poder de um artefato sagrado conhecido como Marker. Hummm… lembra algo também?

A todo momento alianças são formadas e desfeitas, com manipulação, traição e negociação. O game é um espetáculo de narrativa, mostrando a mente degenerada de Isaac sendo assombrada pelo fantasma de sua namorada enquanto diversos personagens percebem que ele é a melhor aposta para atingirem seus objetivos, mas claramente ele não está nas melhores de suas condições.

DR fodas.

Já o gameplay talvez seja o melhor em 3ª pessoa que já experimentei, com grande variedade de armas e upgrades possíveis. A tela inteira é deixada para o desenrolar da trama, com as informações necessárias perfeitamente integradas ao layout do personagem e de seus utensílios. Cada corredor cria uma tensão gigantesca. Foi, de longe, o jogo que mais me deu medo de jogar.

A Visceral Games cria uma obra-prima, que torna esse jogo em um título obrigatório para gamers e cinéfilos. Dead Space 2 é a união perfeita entre fanatismo religioso, ficção científica, terror e psique humana. A franquia também possui uma obra cinematográfica, Dead Space: A Queda, que é um prequel para o 1o game (confira o trailer abaixo).

Disponível para:

PC
* Origin – R$ 20,00
* Steam – R$ 20,00 (R$ 5,00 na Steam Summer Sale 22/06 – 05/07)
* Centralkeys – R$ 20,00

XBOX ONE e XBOX 360
* Marketplace – R$ 100,00 (R$ 40,00 – membros da gold)
* Casas Bahia – R$ 87,00

PS4 e PS3
* PlayStation Store – R$ 61,00
* Wallmart – R$ 83,00

Sugestões para você: