O que não fazemos por aqueles que amamos? Estamos dispostos a cometer os atos mais hediondos e os mais nobres atos de altruísmo. Podemos tirar vidas e dar a nossa própria. Com base na força do amor materno, Ori and the Blind Forest, vencedor do VGA 2015 (Oscar dos games) na categoria melhor direção de arte (e indicado como melhor jogo independente, melhor jogo de aventura/ação e trilha sonora), chega aqui ao MetaGames.

O argumento que dá início ao game é mostrado em um prólogo belíssimo, que estabelecerá o parâmetro do que podemos esperar de envolvimento emocional e execução técnica do jogo. A narrativa de Ori é contada através de textos contextualizando o passado, assim como pequenos diálogos com Sein, uma entidade da Árvore dos Espíritos. Árvore essa que é a mãe biológica de Ori, que perdeu seu filho na “Grande Tempestade”, sendo achado por Naru, sua mãe adotiva. A Árvore dos Espíritos, ao chamar por Ori, acaba por causar um desastre na família de Kuro, nossa antagonista no game, que arranca de centro da árvore a sua fonte de poder, levando a Árvore a definhar e toda a floresta junto com ela. Isso gera escassez de comida e o sacrifício de Naru, que abre mão de comer para alimentar Ori.

Todos esses destinos entrelaçados criam uma história envolvente. Percebemos que todos somos vítimas das circunstâncias e fazemos o que é necessário por aqueles que amamos. Isso vale especialmente quando Ori precisa restabelecer a fonte de poder da Árvore dos Espíritos e salvar a floresta e a si mesmo. O fim justifica o meio.

O mal é uma questão de ponto de vista.

Ori and the Blind Forest é um dos jogos mais bonitos da última década sem sombra de dúvidas e junto com a cativante trilha sonora, cria um ambiente de grande imersão. Passei horas explorando cada parte desse mundo em decadência. Uma narrativa sensorial estonteante.

Amor puro e genuíno.

No entanto, caso você não possua grandes habilidades motoras, Ori te deixará um tanto frustrado. O jogo tem um nível de dificuldade de mediano à difícil, com uma curva de aprendizado acentuada. Inúmeras vezes, ao ganhar um novo poder, você terá que revisitar áreas antes exploradas. É um game que exige do jogador, mas que te recompensa proporcionalmente.

Você poderá encontrar esse primor da estética e narrativa por um ótimo custo benefício para:

PC: GOG, Steam por 37,50 e Centralkeys por 33,90

Xbox One por 39,00

Sugestões para você: