– Melhor Animação: Viva: A Vida é uma Festa (Coco), dirigido por Lee Unkrich e Adrian Molina

A animação que trouxe mais um Oscar pra Pixar (mais que merecido!) e uma das mais emocionantes do estúdio também. Tive o enorme prazer de assistir e escrever a crítica desse espetáculo. O filme conta a história do aspirante a músico Miguel (voz original de Anthony Gonzalez) que viaja, acidentalmente, para a Terra dos Mortos com o objetivo de encontrar seu tataravô. Um roteiro super tocante e personagens carismáticos ajudam a mostrar a cultura repleta de cores, diversidade e vida que é a mexicana, além de entreter todo mundo independente da idade. Leve uma caixa enorme de lencinhos só pra garantir.
Por Valentina Schmidt.

1o – Viva: A Vida é uma Festa – 3 votos
2o – Com Amor, Van Gogh – 2 votos


– Melhor Filme Estrangeiro:  Uma Mulher Fantástica (Una Mujer Fantástica), do Chile, dirigido por Sebastián Lelio

Uma Mulher Fantástica se configura como o mais recente exemplo da qualidade e variedade temática do cinema chileno contemporâneo. O filme pode ser lido pelo menos de duas maneiras: como um sensível estudo do luto e do trauma, a partir da perda da pessoa amada; ou como uma extremamente pertinente discussão sobre a afirmação de identidades múltiplas em meio a um mundo cada vez mais conservador. Talvez a principal qualidade do roteiro seja unir essas duas dimensões de forma tão harmoniosa, ainda dando espaço para cenas brevemente surreais e impactantes. Daniela Vega, cuja atuação é belíssima em sua sutileza, nasceu para ser uma estrela do cinema.
Por Anderson Gomes.

1o – Uma Mulher Fanstástica (Chile) – 2 votos (critério de desempate)
2o – Thelma (Noruega) – 2 votos
3o – Sem Amor (Rússia) – 1 voto

Sugestões para você: