6º – X-Men 2 (X2), de 2003, dirigido por Bryan Singer

Super-heróis encontram os Estudos Culturais nesse que é um dos mais criativos e provocadores filmes de ação desse século. A assombrosa qualidade do roteiro, que lida excepcionalmente com diferentes temáticas e inúmeros personagens, está em conseguir conciliar discussões sobre diversidade e preconceito (a cena em que Bobby “sai do armário” é provavelmente a melhor de toda a série “X-Men”) com grandiosas e inventivas sequências de ação (o ataque na Casa Branca, a fuga de Magneto, a invasão à escola mutante). Destaque vai para Alan Cumming e Ian McKellen que, ao darem um subtexto queer para Noturno e Magneto em suas atuações, em muito enriquecem as possibilidades de interpretação nesse que é um dos mais densos (e divertidos!) filmes de super-heróis já feitos.
Por Anderson Gomes

5º – Watchmen: O Filme, de 2009, dirigido por Zack Snyder

Em 1º lugar, vamos deixar algo bem claro e estabelecido aqui. Watchmen é e, muito provavelmente, sempre será a melhor história em quadrinhos já escrita na história da humanidade. Dito isso, vale mencionar também que Alan Moore, escritor dessa obra, abomina qualquer adaptação de seu trabalho para as telas e, antes que você venha apontando o dedo utilizando isso como argumento para desmerecer o filme nessa lista, sua insatisfação é uma questão de transposição de mídia e não sobre a qualidade da película em si. Quando anunciado que seria adaptada essa obra-prima para o cinema muitos, inclusive eu, ficaram esperançosos e igualmente preocupados. Como adaptar um trabalho muito denso em 2h40min de filme? Zack Snyder aproveitou cada minuto para contar páginas e mais páginas de história. Um belo exemplo foi a belíssima abertura, que passou por um longo período da HQ com a trilha soberba de “The Times They Are A-Changin” de Bob Dylan, enquanto clássicas cenas com muitos easter eggs eram mostradas. O longa não conta com nenhuma estrela à época,  nem faz parte de nenhum universo cinemático, no entanto levanta questões políticas, sociais e sobre a psique humana de uma forma que raramente vemos em um filme do gênero. Watchmen: o Filme é violento, nostálgico, perturbador e mostra que heróis, super ou não, são tão perturbados quanto os vilões que eles enfrentam. Você pode ver na Netflix essa ótima adaptação (desculpa, Moore).
Por Ryan Fields

Sugestões para você: