6º – Três… Extremos (Saam gaang yi), de 2004, dirigido por Fruit Chan ( segmento “Dumplings”), Chan-wook Park (segmento “Cut”) e Takashi Miike (segmento “Box”)

Não haveria a menor possibilidade de juntar três mestres asiáticos para falarem de situações extremas a partir do gênero terror/suspense e não ter como resultado algo, no mínimo, primoroso. Como costumo dizer, há algo inerente nos orientais quando o assunto é uma temática visceral. Parece-me que eles não se escondem atrás de máscaras ou de fantasias por temerem revelar o que de mais grotesco há na essência humana. Muito pelo contrário, vêem nas suas expressões artísticas a possibilidade de ir além, de desafiar o que ninguém quer ver, de nos levar ao nosso extremo. Três… Extremos, analisado em nosso Assista! de ontemune Fruit ChanChan-wook Park e Takashi Miike representando China, Coréia do Sul e Japão, naquilo que pode ser facilmente considerada uma das maiores obras de terror da História do Cinema. Esteticamente impecáveis, grotescamente pensados e perfeitamente realizados, os três contos desnudam a natureza humana ao nos abandonar nos extremos de nossos limites.
Por Rene Michel Vettori

5º – Os Outros (The Others), de 2001, dirigido por Alejandro Amenábar

Se tem algo que me deixa extremamente desgostoso com um filme, seja de terror ou não, é o diretor deliberadamente me enganar. Muitos longas utilizam desse artifício para revelar algo que é impossível de se perceber durante o filme. Esse é o famoso “plot twist” que, apesar de sempre ter existido, ficou popularizado com o trabalho de M. Night Shyamalan. Ele dá uma nova percepção aos seus longas, geralmente perto do final, que te faz mudar radicalmente como entendemos seus filmes, criando enorme satisfação e admiração pelas películas. Em Os Outros, Alejandro Amenábar consegue levar o plot twist a um nível inacreditável de arte e cria 2 filmes dentro de 1. Em momento algum nos é escondido nada e somos levados a acreditar, por nossa própria ignorância e desatenção, que uma casa é assombrada por espíritos (e, de fato, é). Com a chegada de 3 pessoas que passam a trabalhar nessa casa, Nicole Kidman, em uma atuação belíssima, entra em um estado de paranoia ao ter que cuidar de seus dois filhos enquanto contatos com seres de outro plano de existência começam a ocorrer. Não somente vale você assistir, como é necessário rever, no mínimo, uma vez.
Por Ryan Fields

Sugestões para você: