Tag: cinema francês

Crítica: O Mundo é Seu (Le Monde Est à Toi)

Eu tenho uma relação de amor e ódio com o cinema francês. No geral, quando sou agraciado pela exibição de algum longa, ele tende a ser algo variando do meia boca, como em “Nada a Esconder“, ao MUITO ruim, sendo “Na Vertical” o pior…

Crítica: Carga Bruta (Braqueurs)

Carga Bruta é um filme francês de ação que trata sobre roubos. Sua sinopse apresenta a história de um grupo que assalta carros fortes, mas se vê em outro tipo de trabalho para saldar uma dívida devido ao erro de um dos integrantes. É…

Crítica: Nada a Esconder (Le Jeu)

Quem é você quando ninguém está olhando? O que passa na sua cabeça que você sabe que não pode verbalizar ou dar vazão? Essa terrível condição humana de ser escravo de seus desejos encontra nas normais sociais e, muitas vezes, legais uma verdadeira fábrica…

Crítica: A Mansão (Le Manoir)

Outro dia mesmo – na crítica de um dos maiores equívocos já disponibilizados pela Netflix, o mexicano “Penalidade Máxima” – eu estava falando sobre como a máxima de que “o cinema nacional é uma merda” é uma falácia disseminada por pessoas que generalizam toda…

Crítica: Gostos e Cores (Les goûts et les couleurs)

Encaixar-se em um conceito fechado de alguma coisa parece uma antiga e ainda presente obsessão humana. Seja agarrar-se à um só tipo de gosto musical ou, indo às profundezas mais abstratas, desenhar um quadrado em volta de sua própria sexualidade. Com isso quero dizer…

Crítica: O Amante Duplo (L’amant double)

O Amante Duplo (L’amant double) “O corpo é o corpo e além do corpo repercute o abismo”. A frase encontrada no mais belo capítulo de As doze cores do vermelho, de Helena Parente Cunha, um dos livros mais  ousados da literatura brasileira, é um…